Período Interbíblico, o surgimento dos Evangelhos

A Palavra de Deus é fascinante. A cada dia que passa mais nos surpreendemos com as revelações das Escrituras. Por esta razão que disponibilizamos aqui uma introdução aos Evangelhos. Devido o texto ser longo, ele será dividido em oito painéis, abaixo a abertura e primeira parte deste comentário, começando pelo Período Interbíblico.

“Mas quando chegou o tempo certo, o tempo determinado por Deus, Ele enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido de judeu.” Gl 4. 4 Bíblia Viva – Ed. Mundo Cristão.

O livro de Eclesiastes (cap. 03) afirma que há um tempo determinado para todas as coisas. E o nascimento de Jesus Cristo, realmente foi em tempo oportuno, cumprindo dora em diante as profecias proferidas a seu respeito. Em seu tempo encontramos uma conjunção de fatores que determinaram com sucesso a propagação do evangelho.

No entanto, urge esclarecer que, por conta do exíguo espaço que temos para escrever (como também para não cansar nossos leitores), registraremos o essencial a uma boa compreensão, orientando nossos leitores a complementarem informações nas leituras, ou consultas adicionais que indicaremos ao longo deste estudo.

Período Interbíblico – De Malaquias a Mateus

Período Interbíblico
Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da lei, a fim de redimir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a adoção de filhos. Gl 4. 4,5

Período Interbíblico, também chamado de Período Intertestamentário é o período compreendido entre Malaquias (Antigo Testamento) e Mateus (Novo Testamento). Este intervalo de tempo foi de 400 anos, sendo profetizado por escritores bíblicos (Sl 74. 9: Am 8. 11-13). Neste período surgiu uma nova identidade nacional para Israel, implicando no surgimento de partidos políticos, classes sociais e grupos religiosos.

O Aspecto político da Palestina

No aspecto político, Israel esteve sobre o domínio de diversos poderes que obtiveram sucessivamente o domínio da Palestina, excetuando-se o período dos Macabeus, quando houve um governo independente. A história judaica durante estes 400 anos entre os Testamentos se divide em seis períodos, são eles:

1º – Persa – Iniciou-se com o decreto de Ciro em 536 A.C., autorizando a volta do remanescente judeu, estendendo-se até o ano 333 A.C. Is 44. 28-45. 3

2º – Grego – Alexandre magno, conquistador de gênio universal, em uma década (333-323 A.C.), transformou politicamente a face do mundo com seu caráter beneficente, humanista e cultural. Alexandre determinou em todo o Oriente um movimento (o Helenismo), que o transformou profundamente, instituindo um mundo novo. Dentre estas transformações temos a cultura grega, com a língua grega difundindo-se rapidamente no Oriente.

Temas Relacionado:

Denominada “Koiné” de língua comum, era lhe reconhecida um caráter de sentimento universal, era adaptada as exigências da vida corrente, cômoda para as relações cotidianas e para os negócios. A língua grega alcançou até os confins do império, firmando-se como língua universal, tendo-se revelado um poderoso instrumento para comunicação do Evangelho.

Acompanhe o segundo painel A Palestina entre o período egípcio e o romano 

Período Interbíblico, o surgimento dos Evangelhos

Tempo de leitura: 2 min