O movimento dos sem igreja

Existe um movimento crescente e crescido, que é o Movimento dos sem igreja. Já está virando uma facção enorme, um exército de gente que ama a Deus, mas não o está servindo nesse momento em lugar algum, mas queria. Eu estou fazendo parte desse movimento e analisando o que ocorre comigo, talvez possamos entender alguma coisa.

Esse movimento dos sem igreja, a principio não é organizado, nem voluntário, como algumas pessoas podem acusatoriamente apontar o bendito dedinho. Nunca imaginei ficar sem congregação. Nunca passou pela minha mente não ter um lugar para congregar. Mas fiquei e eu consigo claramente entender o porquê isso ocorreu.

A decepção com a igreja atual, mormente pelas igrejas onde passei, nas minhas experiências, me mostra uma situação que parece permanente, a crise na igreja atual. Eu estou decepcionado pelas igrejas em que passei. Estou decepcionado com pastores, com obreiros, com irmãos e irmãs. Estou profundamente desagradado do modo e do rumo que a igreja tem caminhado.

As minhas maiores projeções a respeito da Casa de Deus, segundo aprendi, lendo as Escrituras, no contato gritante com a igreja contemporânea me desnortearam.

A igreja está longe de ser uma legitima e abençoada casa de Deus. Estou decepcionado. Não sei onde servir a Deus. E o meu problema não é com Deus. O problema reside em não saber mais onde servi-lo. Estou me torcendo para ir a algum lugar, mudando até conceitos, mas está difícil. Cada lugar tem um costume que me parece uma doutrina.

Eu imaginava que o Evangelho era o mesmo em todo lugar, mas não parece ser. Para explicar esta situação absurda, há quem argumente : “O homem é falho” ou “não devemos olhar para o homem”. Paulo teve a coragem de dizer: “Olhem para mim”.

A peregrinação dos sem igreja

sem igreja

A igreja atual não tem coragem de dizer a mesma coisa, mas olhamos, mesmo que involuntariamente para a igreja e ficamos abismados com o que vemos. Em algumas comunidades grandes, a quantidade de gente que entra, tem a mesma quantidade de gente que está saindo.

Existe hoje em dia um êxodo e uma exclusão nas igrejas. As pessoas estão em movimento, muitas não tem uma igreja fixa faz tempo. Alguns temo dizer, nunca tiveram. E fica muito fácil e está sendo facilitada por alguns irmãos a saída para outros lugares.

Esta exclusão anônima ocorre hoje em dia em profusão. Eu já ouvi gente de púlpito dizendo que se alguém não está feliz que vá para outra igreja. Isso é uma exclusão. Livramos-nos do problema mandando o irmão embora. E ele que vá. Ele que se vire.

Ovelhas estão sendo expulsas aos borbotões das igrejas e estão saindo, forçadas, enquanto o Senhor está vendo as suas lágrimas e medindo quem as estão expulsando. Deus parece dizer: É o meu filho que você está expulsando; é a minha filha que você está expulsando. Deixa, na volta eu te pego. Primeiro eu vou cuidar da minha ovelha ferida, que você feriu, depois eu volto, para conversarmos seriamente.

A crise de credibilidade que afeta a igreja

A crise da igreja contemporânea tem muita coisa envolvida. Maus obreiros, má pregação, mau testemunho, escândalos… Até parece que a igreja verdadeira é isso ai. Esse negócio não é a noiva de Jesus, apesar de levar o nome de noiva. Mas como quem é espiritual sabe discernir bem todas as coisas, sabemos que esse negócio pode ser qualquer coisa, menos a igreja professada no Novo Testamento.

Mas a nossa conversa é, sobretudo sobre os irmãos que estão sem igreja e a maioria não se entende, ou não consegue compreender, e nessa incompreensão pessoal imaginam-se sem amar a Deus, acusados de estarem desviados, o que não é verdade.

O Diabo está aproveitando esse deserto, para agravar a pena de muitos de nós. Uma das coisas que o Diabo faz é nos acusar, principalmente usando os que estão dentro da igreja e não estão nos compreendendo. Os que se dizem sem igreja, não estão dizendo que não querem mais a Deus, mas que estão sem igreja. Por favor, não misture uma coisa com a outra.

Eu não tenho problemas absolutamente nenhum com Deus. Não estou sem igreja porque estou em pecado, não é verdade isso e não acredito que o seja a maioria dos irmãos que estão nesse êxodo. Entramos, nós os sem igreja, ressabiados em algum lugar novo.

Entramos desconfiados, sem abrir muito o jogo, sem nos darmos completamente, pois já fizemos isso e fomos decepcionados. Estamos procurando uma igreja, o problema é que está difícil de achar.

Procuro uma igreja nos moldes de Jesus

Procuro uma Igreja nos moldes de Jesus, como a professada no Novo Testamento. Lógico que atualizada contemporaneamente. Procuro uma igreja onde os pastores e obreiros estão preocupados com as ovelhas e suas feridas. Procuro uma igreja onde haja amor. O amor é ou deveria ser, a característica principal do cristão.

O exemplo de desamor visto hoje em dia nos crentes é escandaloso. Ouvimos falar até de crente que estava no mesmo culto, brigando na entrada do templo. Eu cheguei a apartar uma briga, uma discussão muito acalorada de congregados que saiam do mesmo culto. A Casa de Deus não está mostrando amor com o próximo. Ela está preocupada com suas questões intestinas.

Quando entrei na igreja, Assembléia de Deus no Jardim Carumbé, a igreja tinha uma lista de irmãos que pararam de frequentar os cultos. Esta lista servia para que os irmãos do evangelismo os procurasse. Gente, isso é louvável. Eu era um dos que acompanhava estas visitas. Eu vinha muitas vezes jubiloso desses encontros. As ovelhas desgarradas de Israel, desde então, nunca saíram da minha lista particular de oração.

Mudei de casa, de bairro, de igreja, de tudo. Alguns anos se passaram e em outro lugar, tive a péssima idéia de tentar levantar um grupo de evangelismo. Ninguém aceitou. O pastor e a liderança não consideraram o assunto. Enquanto isso, os meus irmãos e irmãs, estão indo embora da igreja e ninguém, absolutamente ninguém, está preocupado.

Se alguém cair, que se vire para se levantar sozinho. Diga-me, como é que alguém que está sendo atacado por demônios, pela carne, algumas vezes até por outros irmãos, vai se levantar sozinho? Uma vez eu ouvi a seguinte fala: “Se alguém está fraco, que vá jejuar”. É brincadeira isso, não é?

Procura-se uma igreja

Procuro uma igreja onde falem de Graça. Olhando para a igreja de hoje, nem parece que Cristo morreu na Cruz pelos pecadores. Triste contestação! O Evangelho da igreja de hoje, no Novo Testamento, que vejo em muitos lugares só prega o Velho Testamento (uai!!!???) e então só vive pelo Velho – é lógico.

No Velho Testamento não havia Graça – que pena – mas no Novo tem, graças a Deus! Procuro uma congregação que fale de graça, na qual diz que Cristo morreu pelos pecadores, pelos que não estão conseguindo dar o dizimo – e que Ele perdoa isso também , eu procuro a Graça daquele que é a graça em pessoa.

Procuro uma igreja que fale de Jesus. Sem menosprezar a Abraão, Moisés, Josué, Daniel, Davi, Jeremias, Ezequiel ou qualquer outro. Mas eu procuro uma igreja que me fale quem é Jesus. Procuro uma igreja que me fale quem é Deus. Que me fale das maravilhas do Espírito Santo e o que a Trindade pode fazer por mim e pelos meus irmãos. Procuro um local que fale dos Evangelhos.

Procuro uma igreja que pregue as Cartas de Paulo. Que pregue Atos, Apocalipse, Hebreus, Romanos, João. Procuro uma igreja que tenha profecias de Deus, Palavra de Deus, cânticos de Deus. Por favor, que tenha Deus.

Procuro uma igreja que faça cultos e não ajuntamentos. Procuro a igreja de Jesus, a verdadeira. Se essa Igreja já não existe, porque é isso que está me dando à ligeira impressão, então está na hora de Jesus buscar a sua igreja verdadeira, mesmo que essa igreja, não tenha um local físico.

Tem de fazer uma mudança urgente

Será que esse movimento dos sem igreja não está querendo dizer, para os que estão dentro da congregação que alguma coisa precisa mudar, urgentemente? Será que o Espírito Santo não está no negócio, usando gente profeticamente, para que os que estão desacordados acordem? Será que todo sem igreja está desviado?

Será que todo sem igreja não ama a Jesus? Será que todo sem igreja não será salvo? Será que Deus não está olhando para os sem igreja? Desde que aconteceu “a coisa” que aonde eu estava e que me jogou pra fora, ou que me convidou a largar aquele ministério – ah, desculpa, mas há coisas que não dá para ver e continuar -, estou orando, sem parar pedindo uma igreja, para mim e para a minha família.

A família que Deus me deu, eu como sacerdote no lar tenho que zelar por ela. Sou responsável perante Deus em dar o melhor para o meu lar. Existem igrejas que sou obrigado a dizer à minha família: “Essa, não!”

Temas Relacionados:

De qualquer maneira Deus está no negócio. Mas com certeza absoluta Deus vai abrir as portas de um novo templo, ou um novo ministério para muitos de nós. Deus vai dar a vitória, de novo, e um dia nós riremos de termos feito parte do movimento dos sem igreja.

Por enquanto, está doendo. O pior é o olhar acusador de quem não está orando por nós, mas deveria.

Paulo Sérgio Lários

Paulo Sérgio é Presbitero, tecnico de informática e escritor

O movimento dos sem igreja

Tempo de leitura: 7 min