O homem cultuando a si mesmo (complexo de Narciso)

Neste tema quero expressar um sentimento de angústia e revolta no que diz respeito aos fatos atuais. Pois há coisas que não podemos ficar omissos porque haveremos de prestar contas a Deus por tudo. Pois bem, quem nunca ouviu um discurso ou pregação em sua igreja e talvez pensasse que era Deus falando, ou usando o homem? Ultimamente quem está falando é o homem.

Deus não tem mais a oportunidade de falar o que precisamos ouvir. Mas, você talvez esteja perguntando por que fazemos este questionamento. A razão é que gostaríamos de deixar os leitores cônscios de tudo o que acontece.

No decurso da história da humanidade, sempre houve pessoas que ávidas por posição e poder. De certa forma, isto foi ruim para a humanidade. Em nome da religião crimes bárbaros foram cometidos, simplesmente porque os seus mandantes não queriam ser questionados.

Todavia, aqueles que jamais abriram mão de seus valores por Cristo, mesmo assim, deram suas vidas e não negaram a sua fé e convicção diante de seus algozes.

Reis oprimiam seus súditos. Para se manter no poder tirava a vida de todos os que não aceitavam seus caprichos. E com isto, levavam uma vida de admiração. Exigiam que as pessoas cultuassem seus personagens, cometendo aberrações.

Hoje não é diferente, pois há pastores que perderam os valores de Cristo. São petulantes e arrogantes em seus discursos, pois quando sobem em seus púlpitos pensam os tais que são deuses. O egocentrismo é o estigma de seu caráter. E que ninguém se atreva a desafiá-los que logo são tidos como rebeldes. Usam textos bíblicos de praxe como: “Não toqueis em meus ungidos” para coibir os humildes servos.

Eles usam a Bíblia de forma pretensiosa. Tentam se se impor sobre seus liderados. Criam em torno de si uma blindagem para evitar a aproximação de quem não partilha dos seus círculos íntimos. São homens “amantes de si mesmos”, como disse Paulo.

Submissão a Deus, não ao homem

homem

“Toda pessoa esteja sujeita as autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há fora ordenadas por Deus”– Rm 13. 1

Este texto de Romanos é de praxe daqueles pastores autoritários e manipuladores dos irmãos mais simples, pois eles usando o tal impõem suas posições como se fosse aplicado a eles. Pois bem, conhecendo as leis “civis” Paulo dá uma lição de moral aos cristãos de Roma, conscientizando-os de seus direitos e deveres como cristãos. Vejamos a nota explicativa da Bíblia de Estudo de Genebra:

“O Governo civil é um meio ordenado por Deus para reger e manter a ordem nas comunidades. É um dentre vários desses meios, inclusive ministros na Igreja e pais no lar. Isso significa que cada um deles tem a sua própria esfera de autoridade sob o domínio de Cristo, que agora governa e sustenta a criação, e os limites de cada esfera são estabelecidos mediante referência a outras esferas.

A autoridade do estado visa ao benefício da sociedade, esse é a sua função normal, e Paulo pressupõe que isso pode ter lugar em termos práticos, mesmo quando as autoridades do governo sejam reconhecidas não cristãs”.

Dessa forma temos que obedecer a qualquer autoridade, desde que, essas não firam o princípio da isonomia do nosso direito como cristão, então, neste aspecto podemos sim ser submisso e não manipulados por pessoas que para se manter no poder impõe seus conceitos de forma arbitrária. Infelizmente é o que vem acontecendo ultimamente em todas as esferas humanas, pois o ditador Hitler levou o terror ao mundo porque não cortaram o seu mal pela raiz.

Temas Relacionado:

O homem só pode receber a autoridade de Deus se esse se submeter ao Senhorio do Senhor. Seja Deus Verdadeiro e todo mortal mentiroso, pois sem o Senhor em nossa vida não somos nada.

José Roberto de Melo

Pr. José Roberto de Melo é Bacharel em Teologia, Professor, Escritor e Graduado em Direito

O homem cultuando a si mesmo (complexo de Narciso)

Tempo de leitura: 3 min