Na torre de vigia, aguardo uma manhã ensolarada

Vamos lá, vou te revelar alguns fatos sobre a vida de Moisés. Por exemplo: ele passou Quarenta anos aprendendo a ser tudo, se tornando menos que nada, compreendeu pela misericórdia divina que o mais importante é termos corações sábios e vivermos nossos dias na presença do Senhor (Sl 90. 12), dando frutos na velhice, compreendendo os tempos de Deus.

Infelizmente, os dias atuais nos revela que há uma inquietação de caráter sombrio. Assim, devemos nos colocar na torre de vigia noites inteiras (Is 21. 8) na fé e esperança da vinda do Sol da Justiça.

No livro de Isaías 21. 11,12, encontramos uma profecia a respeito de Dumá: “Guarda que resta da noite? Guarda que resta da noite? O guarda responde: A manhã vem chegando, mas ainda é noite. Se queres perguntar, perguntai! Vinde de novo”.

Dumá, que significa silêncio é um anagrama de Edom, isto sem dúvida por uma dupla razão: O silêncio costuma pairar sobre aquele país, e esse mesmo silêncio simboliza a decadência que o ameaça. A mensagem é indefinida.

No silêncio das trevas surge uma pergunta: “Guarda, o que resta da noite?” É esta a atitude mental de Edom, uma atitude de interrogação à respeito do futuro. Tem sido esta a sua atitude frente as interrogações da sua vida? Você tem dito como Davi: “Olhei para a minha direita, e vi, mas não havia quem me conhecesse; refúgio me faltou; ninguém cuida da minha alma”.

Neste caso, você tem uma situação indefinida. Você sofre, está se sentindo como um pelicano no deserto, uma pardal solitário no telhado. Falta para você o Sol da justiça. Sim, é necessário você receber a exposição da Palavra de Deus.

Senhor, estou na torre de vigía

manhã

Parece que ouço você orar “Senhor, estou na torre de vigia. Eu quero o deslumbramento da manhã.” Creio que a situação está apertada para você. Sente o peito oprimido pela angústia, não visualiza rotas de escape, não escuta uma palavra de conforto. Sua oração tem sido a de Davi: “Até quando te esquecerás de mim Senhor? Para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto? Livra-me, ó Deus, pois as águas entraram até a minha alma. Estou cansado de clamar; secou-me a garganta; os meus olhos desfalecem esperando o meu Deus”.

Ser-lhe-á apresentado uma resposta definida se você insistir, se tornar a fazer a mesma pergunta: “O que resta da noite? A que horas estamos? Senhor já não suporto mais as trevas da noite; atravessa-me por esta escuridão, amparando-me com tuas mãos poderosas. Senhor, eu quero o deslumbramento da manhã”.

Quando você orar assim, irá compreender e crer que não tens vívido para o teu Deus. Chegará a mesma conclusão de Paulo: “Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas as coisas e as considero como esterco, para que possa ganhar a Cristo”.

Até agora você não tem tido uma vida frutífera, abençoada, porque tens vívido para ti e não para teu Deus. Duas opções para você escolher uma delas: As trevas da noite, ou o deslumbramento da manhã ensolarada.

Feita a primeira opção continuarás a perseguir uma vida de muitas realizações terrenas: conseguir a casa própria, ter ao seu alcance todos os bens que lhe proporcionará uma vida confortável, sem sobressaltos. No entanto, e tua alma? Esperarás chegar a tua velhice para decidir segui-lo?

Não lastime a oportunidade perdida

Cuidado! Conheço muitas pessoas, que não quiseram servir ao Senhor no auge da sua força física e mental. Hoje, lastimam a oportunidade perdida. Salomão, uma dessas pessoas, deixou-nos o registro da sua experiência em Ec. 12.1-7.

O pregador (Salomão se identifica assim no Eclesiastes) quando criança (Pv 22. 6) havia escutado os ensinamentos das Escrituras. Creio que muitas vezes ele escutara o relato do Jardim do Éden. Com o coração enganado pelo pecado e sem limites para sonhar, resolveu construir seu jardim particular. Inflado de orgulho, deve ter pensado “Se Adão pode, eu também posso!”

Lendo Eclesiastes capitulo 2, se nota que ele tinha uma preocupação excessiva com as coisas terrenas. Mas onde estava o temor a Deus? Seu coração foi tomado pelos prazeres. Sua alma ficou fascinada com as coisas que o poder e a riqueza podiam proporcionar (Ec 2. 3-11).

Seu espírito ficou escravo dos muitos deuses que ele cultuava juntamente com suas centenas de mulheres. 1 Reis 11. 4-8. Os prazeres efêmeros haviam distanciado Salomão do pleno entendimento de Deus, em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. Cl 2. 2,3; Lc 12. 20

Agora leia esta fala da belíssima e talentosa atriz Demi Moore: “No fim da minha vida estou descobrindo que não sou uma pessoa amável que não mereço ser amada, que tem alguma coisa de errada comigo” (Demi Moore, atriz, 49 anos

Não se sabe como a Demi Moore chegou a essa conclusão, mas ela é das mais acertadas possíveis. Interessante é que ela chegou a essa conclusão com 49 anos, e não mais cedo. Esse conhecimento de que não somos pessoas amáveis, e não mereceremos ser amadas pode se estender para amplos territórios.

Devemos conhecer o tempo da salvação

O tempo bem aproveitado, é um seguro de vida. E vida em abundância, na eternidade. Hoje, ouvindo a voz do Majestoso, não endureça o seu coração, reconcilie-se com o Eterno; e isto digo, conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé. A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos pois as obras das trevas e vistamos-nos das armas da luz.

O choro pode durar uma noite, mas a alegria virá pela manhã. No clarear do dia, tua vida será como a luz da manhã, sem nuvens. Será mais clara do que o meio dia, ainda que haja trevas, terás confiança, porque haverá esperança; olharás em volta, e repousarás seguro. Poderás então ver, ouvir e sentir Deus trabalhando em sua vida. Terás o teu rosto iluminado, pois o Senhor será a tua luz perpétua, e o teu Deus a tua glória.

Temas Relacionado:

Não! Não poderás acusar a Deus, se o sol não resplandecer sobre ti. Pois Ele ilumina a todos, conforme declara o Salmo 19. 1-6: “Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento a obra de tuas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes, em toda a extensão da terra, e as suas palavras até ao fim do mundo.

Na torre de vigia, aguardo uma manhã ensolarada

Tempo de leitura: 5 min