Na contramão das manifestações

Estou nα contrαmão! Acompanho com interesse e curiosidade as manifestações que tem acontecido no Brasil nos últimos dias, mas creio que é necessário termos cautela, isto pode degenerar numa revolução. Os que defendem e participam dos protestos afirmam que o fazem não unicamente por 20 centavos, mas também por tal e qual causa, mas a coisa está muito rala, insossa.

O povo está indo as ruas protestar, mas sem uma pauta definida, sem um objetivo concreto, sem uma liderança propositiva e representativa dos reais anseios da sociedade.

Alguém pode argumentar que não conheço manifestação, e que minha opinião se baseia na comodidade.  Afirmo que, participei e ajudei a organizar muitos protestos, todos eles contra os desmandos políticos e a corrupção.

Não apresentamos uma bandeira partidária, tivemos uma posição clara e definida, a da ordem e moral, da defesa e observância da Constituição. O Movimento Grande Vaia do qual participei juntamente com outras lideranças possuía objetivo e foco, coisa inexistente nestes movimentos de agora.

Uma palavra aos pastores e evangélicos

manifestações

Uma pessoa só entra num barco em três situações:

1 – Confiança no barqueiro e nos instrumentos de segurança,
2 – Domínio das técnicas de natação,
3 – Situação periclitante da vida

Fora destas situações é tolice embarcar. Há pastores incentivando os fiéis a irem às ruas protestarem, exercendo a cidadania. Penso que neste momento esta atitude é temerária, não sabemos que forças motivam estas manifestações. Acredito sim, que é hora da igreja brasileira orar e consagrar-se pelo Brasil. Deus fará obras maravilhosas quando houver um clamor.

O livro de Juízes relata um período de incertezas, lutas e angústias vividas pelos hebreus. Eles haviam entrado de posse da Terra prometida, deixado os dias de deserto para trás, mas após a morte de Josué e Calebe, o povo ficou sem liderança, cada qual era senhor de si, fazendo o que considerava justo. A conseqüência imediata foi à infidelidade do povo e a conseqüente opressão sofrida dos povos vizinhos (Jz. 3. 9,15; 4. 3; 6. 6,7). “Naqueles dias não havia rei em Israel; cada um fazia o que parecia bem aos seus olhos”. Jz 21:25

Não é por 20 centavos

Pense bem, nós julgamos justo participar destas manifestações, afinal, todos estamos cansados, os 20 centavos foram a gota d’água, a paciência está esgotada. Sim, vivemos dias piores que os dias relatados no livro de Juízes. Mas creio que neste momento devemos levantar um clamor a Deus, interceder por esta nação. Deixemos nossas indignações nas mãos de Deus.

Estou na contramão e preocupado com estas manifestações que tem acontecido em diversas cidades brasileiras, em especial em São Paulo. As pessoas de visão espiritual sabem que determinadas ações fortalecem os demônios, eles ficam mais ouriçados, em consequência aumenta os delitos, as perturbações sociais, os crimes, os bailes funks e toda coisa ruim.

Neste final de semana notei um aumento destas ocorrências. É hora do povo de Deus orar com mais fervor para aniquilar as forças das trevas. Pense bem! Sabemos que o Capiroto veio para causar morte e destruição, cabe a nós Soldados do Senhor fazermos a oposição. E nós fazemos oposição na qualidade de Soldados do Senhor, resistindo ao Inimigo, orando e intercedendo.

Temas Relacionado:

Durante o 14º Congresso de Louvor e Adoração Diante do Trono, realizado em Belo Horizonte, no último mês de março, a pastora Cindy Jacobs profetizou a derrubada da corrupção no Brasil, mas condicionou este fato a intervenção da Igreja.

A Igreja brasileira vai ser o fator de transformação social do país, visto que Principados e Potestades demoníacas reinam quase absolutas. Quando a Igreja orar, a transformação vai acontecer, situação igualmente vivida nos dias de Jeremias. Jr. 33.3

Na contramão das manifestações

Tempo de leitura: 3 min