Marcas de maturidade em líderes cristãos

Este é um bom momento para discutir e falar sobre a maturidade, porque um dos objetivos da liderança cristã é ajudar os outros a alcançar o seu potencial para o serviço. Queremos estar no nosso melhor e que aqueles que trabalham com a gente possam estar no seu melhor para que possamos fazer o nosso melhor trabalho em conjunto e, se for à vontade de Deus, ir para desafios maiores.

Isso não significa que “quebrar” as outras pessoas e condiciona-los à nossa própria imagem, porque não somos Deus. Até mesmo a nossa melhor imagem não alcança todo mundo. Em vez disso, significa ajudar as pessoas a crescer e fazer o seu melhor para que elas possam avançar em serviço.

O vencimento propicia as pessoas conhecerem a si mesmas, aceitar a si mesmas, e ser elas próprias em cada situação. Elas não “desempenham papéis.” Elas são realistas sobre si mesmas e não têm ilusões sobre quem são ou o que elas podem fazer.

Elas não estão se enganando ou tentando enganar os outros, porque a maturidade e humildade caminham juntos. Davi escreveu sobre isso no Salmo 139. Não importa o quão inepto podemos estar em algumas coisas, cada um de nós ainda é “obra criativa”, e todos nós devemos louvar a Deus por aquilo que somos e o que podemos fazer (Sl 139. 14). Quando Deus nos fez, Ele não cometeu erros.

Descubra o que você faz de melhor

maturidade

Quando eu estava na escola, não demorou muito tempo para descobrir que eu não era um atleta. (Meus dois irmãos mais velhos foram hábeis atletas.) Quando você é o último escolhido para cada equipe, e a equipe que acaba com você tenta dar-lhe para outra equipe, você acabará por receber a mensagem. Eu poderia correr rápido, por isso o futebol era o único jogo em que me destaquei. Mas o futebol não era um esporte oficial da escola naqueles dias.

Em Indiana, onde eu cresci, o basquete e futebol reinaram supremo. Então o que eu fiz? Para proteção, consegui ser tanto um jogador de futebol, ou jogador de basquete como um reserva, e eu consegui não estragar meu caminho no campo ou na academia, fiquei longe de problemas.

Meus companheiros aprovaram, afinal, eles queriam ganhar o jogo. Mas quando se tratava de acadêmicos, escrevendo para o jornal da escola, fazendo discursos para o grêmio estudantil, e até mesmo servindo como um substituto quando um professor estava ausente, eu estava no meu elemento.

Naqueles dias, as escolas concediam cartas só para o atletismo, e não acadêmicos, mas eu não me importava. Toda a experiência me ajudou a me encontrar e descobrir a obra que Deus queria que eu fizesse.

Sinais de maturidade nos cristãos

Para começar, porque eles conhecem a si mesmos e aceitam a si mesmos, eles aprendem a aceitar os outros e cultivar uma abordagem de equipe para fazer as coisas. Não faz diferença quem marca os pontos, enquanto o time ganha. A palavra chave é “cooperação” e não “a concorrência.”

O herói da marinha britânica Lord Nelson, veio para o convés e encontrou dois de seus funcionários envolvidos em uma discussão violenta. Ele os observou alguns momentos e, em seguida, colocou-se entre eles. Apontando para o oceano, ele disse, “Senhores, há um só inimigo, e ele está lá fora”.

Quer se trate de um orador dando uma palestra ou o presidente de uma empresa explicando uma nova política, o objetivo é o mesmo: pessoas diferentes com personalidades diferentes trabalhando juntos para atingir os mesmos fins com a menor quantidade possível de atrito.

A verdade e amor são sinais de maturidade

As pessoas que vencem falam a verdade em amor (Ef 4. 15). Foi bem dito que a verdade sem amor é brutalidade e amor sem verdade é hipocrisia. A brutalidade e a hipocrisia são ambos pecados, e o pecado destrói. Verdade e amor são ferramentas para construir, e eles são parceiros que trabalham em conjunto.

Iriamos nos beneficiar de lessemos 1 Coríntios 13 com freqüência e nos perguntássemos: “É este o meu retrato?” O amor é nomeado primeiro na lista do fruto do Espírito (Gl 5. 22-23), porque o amor nos ajuda a produzir e compartilhar o resto do fruto que Paulo citou. Jesus chamou o amor de uma nova ordem e disse que é a principal marca de cada um de seus discípulos. Jo 13. 34-35

Maturidade é sinônimo de responsabilidade

A maturidade leva as pessoas  a assumirem a responsabilidade de bom grado. Quando surgem problemas, eles admitem os possíveis erros e fazem perguntas em vez de inventar desculpas. Elas podem ser confiáveis para fazer o seu trabalho bem ou não, quando ninguém está assistindo.

Certa vez eu estava em uma equipe com um homem cujos hábitos dirigidos eram evasivos, o que era óbvio para todos, mas não a si mesmo. Quando solicitado a cooperar em uma atribuição, ele invariavelmente respondia: “Ah, isso é na minha pasta!” Quando perguntado onde estava sua pasta, ele diria: “Está no porta-malas do meu carro.” Onde estava seu carro? Sua esposa o reteve! Ele não ficou na equipe por muito tempo.

Pessoas maduras sabem que a maneira como elas fazem seu trabalho afeta a forma como os outros fazem o seu trabalho. Pessoas maduras fazem mais do que é necessário, não para ganhar pontos ou obter reconhecimento especial, mas porque elas se consideram “escravos de Cristo, fazendo a vontade de Deus a partir de [seu] coração.” Ef 6. 6

Se virem um colega de trabalho tendo problemas, elas se oferecem para ajudar. Elas não competem com os outros, elas competem com elas mesmos e sempre se esforça para fazer o seu trabalho melhor.

Pessoas maduras têm uma visão saudável da vida e são confiáveis se o Senhor envia derrotas ou vitórias. Se outras pessoas têm um dom de reclamar, trabalhadores maduros não pregam para elas, mas sim tenta ter uma atitude positiva que pode ajudar a transformar o pessimismo em otimismo. Como Paulo e Silas na prisão, trabalhadores maduros podem cantar e orar e derrubar a casa (Atos 16)!

A maturidade é um exemplo de sucesso

Eu vi os homens e mulheres que têm modelado liderança para mim. Eu tenho observado que eles não só tem fé em Deus, mas também demonstram fé em seus colegas de trabalho. Todos na equipe deve acreditar um no outro, ou o trabalho em equipe será impossível.

Devemos orar uns pelos outros e confiar em Deus para operar em nós, entre nós e através de nós. “Espero no Senhor Jesus enviar-vos em breve Timóteo”, escreveu Paulo à igreja de Corinto que Apolo estava “bastante disposto” para visitá-los naquele momento, mas viria quando ele teve oportunidade (1 Co 16. 12). Isto mostra que Paulo não “brincar de Deus” na vida de seus associados, movendo-os contra a sua vontade. Paulo teve seus planos, mas assim como o Senhor, Paulo era flexível.

Quando um novo membro se junta à equipe, logo calcula o seu quociente de maturidade”, e que pode ter que mudar para o Plano B para ajudá-los a começar a crescer. Como eles respondem a críticas e para louvar? São pacientes com atrasos? Será que eles sabem para qual porta eles estão indo? Eles podem ouvir pacientemente, sem interromper?

Até mesmo os servidores experientes, ocasionalmente, tornam-se infantil e necessitam de terapia privada. Feridas de um amigo pode ser confiável, mas um inimigo multiplica beijos”. Pv 27. 6 

Temas Relacionado:

Quando reflito sobre meus próprios anos de serviço, eu dou graças pelos homens e mulheres que pacientemente me ajudou a amadurecer e me tornar um melhor jogador da equipe. Eu ainda estou aprendendo.

Sobre Warren W. Wiersbe 

Warren W. Wiersbe é professor no Grand Rapids B. Seminary, sendo autor de mais de 100 livros. Billy Graham o chama de “um dos maiores expositores bíblicos da nossa geração”.

Marcas de maturidade em líderes cristãos

Tempo de leitura: 6 min