Jesus e a má publicidade (o culto da mediocridade)

Trago a você a mensagem Jesus e a má publicidade, tradução livre do artigo “Jesus and Bad Advertising” do pastor Steven Furtick, da Elevation Church, nos Estados Unidos, o texto foi publicado recentemente no Outreach Magazine. O pastor Steven Furtick ilustra o seu artigo afirmando com eloquência que a igreja cristã sofre com uma má publicidade.

Li certa vez uma entrevista de Miguel Antonio Kater Filho na revista Veja, nela o marqueteiro católico detalha que a igreja não sabe usufruir de um bom marketing. É compromisso abordar posteriormente este assunto relacionado ao texto de Steven Furtick, que você acompanha logo abaixo.

Eu estava em uma viagem de cerca de um ano atrás, e Elias precisava usar o banheiro. Havia um posto de gasolina que dizia “banheiros limpos”, por isso puxado para dentro. Mas os banheiros eram imundos. Xixi e lixo por toda parte. Era nojento. Elias olhou para mim e disse: Por que ele diz banheiros limpos, quando estes não estão limpas?” Eu disse, “Eu acho que eles mentiram para nós.”

Não muito tempo depois disso, Elias e eu estávamos em um bom hotel e fomos para o banheiro, e foi super limpo. Ele me disse: “Papai, faz este banheiro tem uma placa que diz que tem banheiros limpos?” Isso não aconteceu. Então, ele respondeu: “Por que alguns banheiros dizer que eles estão limpos e não são, em seguida, outros banheiros são limpos e eles não dizem que eles são?” Eu não sei.

E eu também não sei por que esta mesma dinâmica tem-se continuamente na Igreja também. A Igreja gosta de dizer que o mundo oferece tudo, mas não tem nada. E isso é verdade. Mas pela minha experiência, a Igreja oferece tudo, mas não sabe como realmente anunciá-lo. Ou coletivamente ou individualmente.

A má publicidade, o culto da mediocridade

publicidade
Comercial da Red Bull que mostra Jesus andando sobre as águas é cancelado – Publicidade agressiva

As pessoas entram em nossas experiências de adoração e nos ouve dizer que Jesus é ótimo, mas depois vêem-nos celebrá-lo com a mediocridade. As pessoas olham para as nossas vidas e nos ouve dizer que somos cristãos, mas, em seguida, elas vêem muito pouca diferença em nós que iria obrigá-los a querer a suposta esperança e alegria que temos.

Estou cansado do mundo, vendendo seu produto tão bem quando o seu produto não pode fazer nada por ninguém. Mas estou igualmente cansado de a Igreja ter algo que pode fazer tudo para todo mundo, mas nós fazemos com que pareça que ele não pode fazer nada por ninguém.

Eu acredito que a mensagem mais importante no mundo merece a melhor apresentação. É por isso que eu sou tão inflexível sobre a Igreja a ser conhecida pela excelência. E é por isso que eu também sou tão inflexível sobre as pessoas que vivem até seu pleno potencial em Cristo.

Não é isso que estamos tentando impressionar as pessoas com o quão grande somos. É isso que estamos tentando impressionar as pessoas em quão grande é Jesus.

Algumas pessoas podem responder dizendo que Jesus não precisa de nós para fazê-lo parecer bom. Na verdade, ao apresentar o evangelho com excelência, nós estamos levando para longe dele. Estamos roubando a glória de Deus. Fazer as pessoas adorar o mensageiro e não a mensagem.

Temas Relacionado:

É claro que Jesus não precisa de nós para fazê-lo parecer bom. Mas eu também não acho que Ele quer que fazê-lo parecer ruim. Ou deixar de refletir o quão grande ele é. Temos a maior mensagem do mundo. Não vamos torná-la mais difícil do que tem que ser para as pessoas perceberem o quão grande ele é.

Jesus e a má publicidade (o culto da mediocridade)

Tempo de leitura: 3 min