Jesus cura o filho do Oficial do rei

O relato do milagre a cura do filho do Oficial do Rei (João 4. 46-54), e a cura do servo do centurião (Mt 8. 5-13; Lucas 7. 1-10) revela Jesus como capaz de curar a partir de uma distância, apenas pelo poder de sua Palavra. Por causa de sua experiência como comandante, o centurião sabia que não era necessário que Jesus fosse à sua casa para visitar o servo doente e orar por ele.

Então, como agora, a distância não é um fator de capacidade de Cristo para curar. Sua Palavra é suficiente, se perto ou longe. A verdadeira fé não requer nenhum sinal visível. A fé do centurião era na capacidade espiritual de Jesus. Ele tinha a confiança na eficácia da Palavra de Cristo para curar os doentes e moribundos.

Como um homem de autoridade, ele acreditou e entendeu que as doenças tinham que obedecer a ordem de Jesus, assim como os seus homens tinham de obedecer-lhe como seu oficial superior. Ele sabia que a autoridade transcende distância.

Um oficial não precisa estar pessoalmente presente para comandar seus soldados para realizar suas ordens. Foi suficiente para Cristo para exercer sua vontade através de sua palavra, e ela é realizada. No entanto, a rápida cura de uma pessoa doente à distância é uma ocorrência rara nos relatos de milagres da BíbliaMt 15. 21-28; Mc 7. 24-30

A fé do centurião é louvável porque ele tinha recebido a Palavra de Deus. Ao pedir a Cristo para curar seu servo por sua palavra, ele mostra que confiou na Palavra de Deus. Ele acredita que tudo o que é necessário, é a Palavra de Deus ser falada para que ocorra a cura até mesmo para o caso mais desesperado.

A fé do oficial do rei é mais que perfeita

Oficial do Rei
Cura do filho de um oficial do rei (1752), Joseph-Marie Vien 1716-1809

A fé do centurião é perfeita. Ele não exigiu a presença corporal de Cristo para curar. Sua fé também é mostrada como maior do que a de Maria e Marta, que também pensou que Cristo tinha que estar presente para curar seu irmão Lázaro. Jo 11. 21, 32

Jesus elogia a fé do centurião, porque é a fé em sua Palavra. Quando o centurião diz que ele não é digno da sua presença, ele diz que ele acreditava que tudo o que tinha que feito era falar e o milagre iria acontecer. Para explicar a sua compreensão do princípio, o centurião diz: “Pois eu também sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este homem, ‘Vai’, e ele vai.” Mt 8. 09

O oficial reconheceu o poder da palavra

Ele reconhece o poder da palavra falada, porque ele está familiarizado com autoridade, mas ele também acredita que a palavra de Cristo tem poder e autoridade até mesmo sobre a doença. Ao pedir a Jesus que curasse simplesmente falando, o centurião mostra que ele aceitou a autoridade da palavra de Cristo. Ninguém pode ter a fé verdadeira, se eles rejeitam a Palavra de Deus.

Muitas pessoas duvidam que a Palavra de Deus seja suficiente. Se elas têm um problema, elas correm para ouvir o que os médicos e psiquiatras têm a dizer. Hoje, muitos que professam igrejas cristãs não demostram muita confiança na Palavra de Deus. O centurião “dize somente uma palavra” não é um comando aplicável para a maioria dos cristãos.

Nos dias de hoje, as igrejas usam um monte de entretenimento para atrair as pessoas para as suas reuniões, acreditando que é essencial para seu sucesso. No entanto, “só fala uma palavra” é a verdadeira essência do sucesso espiritual. Sem a Palavra de Deus, a Igreja não irá manter uma base sólida de verdade e crescer.

Como comprovar que a cura ocorreu?

Aqueles que foram enviados para a casa onde o servo doente estava, encontraram-no completamente curado. A evidência de cura do servo era abundante, excelente, e muito visível. Eles não precisaram olhar através de um microscópio para provar que ele fora curado.

Ele havia sido paralisado, com muita dor, e perto da morte, mas agora ele estava completamente bom. Eles não precisavam de nenhuma outra prova para convencê-los de que um verdadeiro milagre havia ocorrido. Jesus forneceu muitas provas incontestáveis durante o seu ministério que confirmam a sua capacidade sobrenatural e propósito divino. Atos 1. 3

Temas Relacionado:

Todo o mundo faz todos os esforços para desacreditar a Jesus Cristo e suas obras milagrosas, quando a prova de sua soberania e poder são vistos em coisas cotidianas. “Pois os seus atributos invisíveis, ou seja, o seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido claramente percebido, desde a criação do mundo, nas coisas que foram feitas. Então eles fiquem inescusáveis.” Rm 1. 20-21

Artigo traduzido do original em inglês Healing a centurion’s servant

Jesus cura o filho do Oficial do rei

Tempo de leitura: 4 min