Jairo, o chefe da Sinagoga e o socorro de Jesus

Hoje vamos falar de Jairo. Fossemos colocar o relato numa comparação ministerial, diríamos “Jairo, um pastor com um problema de foro íntimo”. Tudo começou quando dei um dinheiro pra minha filha Elizabeth e ela resolveu comprar uma Bíblia – Glória a Deus por isso! Passei então a ensina-la a partir de Marcos, já estamos no capítulo 5. 22-23, e lá me deparei com esse texto.

“Um homem chamado Jairo, chefe da sinagoga, foi e se jogou aos pés de Jesus, pedindo com muita insistência: – A minha filha está morrendo! Venha comigo e ponha as mãos sobre ela para que sare e viva!”

Marcos  os conta que Jairo, chefe da Sinagoga, portanto o pastor da igreja foi até Jesus e de joelhos pediu para Jesus ir até a casa dele, pois a sua filha Thalita, estava morrendo. O seu pedido consistia que Jesus colocasse as mãos sobe a menina e ela sarasse e vivesse.

Quando Israel foi para o Exílio, trouxe importada a idéia de Sinagoga: um espaço, onde havia um púlpito e as pessoas ficavam de pé, sentavam-se no chão ou em bancos e atrás do púlpito havia os rolos do Antigo Testamento, em couro ou papiro.  A idéia de Igreja saiu da Sinagoga.

Não era muito comum Jesus ir a casa de todo mundo…

jairo
Mas quando chamado a casa de Jairo, ele disse: “Eu vou”

Não era muito comum Jesus ir à casa de todo mundo que lhe pedisse, mas Jesus foi até a casa de Jairo. Lá ele encontrou um clamor muito grande de familiares e amigos. Os empregados de Jairo lhe avisaram no caminho que a menina havia morrido. Jesus chegou a casa e disse para que eles não temessem – tirem o medo – pois a menina não está morta, mas dorme.

Muitas pessoas começaram a zombar de Jesus e riam-se dele. Jesus então pediu que saísse todo mundo e que ficassem os pais da menina e a Pedro, Tiago e João. Jesus impôs as mãos na menina, liberou uma Palavra e a menina acordou com fome. A gente aprende um monte de coisas nesse texto, mas quero frisar só algumas coisas.

Nós enxergamos a morte diferente da maneira que Jesus a enxerga. Pra nós a morte é o fim, pra Jesus a morte é um sono. Quem está certo e quem está errado? Uma situação como esta para nós é realmente o fim, não temos poder de mudar isso, mas para Jesus é um sono. Ele tem todo o poder concentrado nEle e pode mudar qualquer situação. Até a morte em Jesus encontra o seu fim, deixa de ser morte e agora é tratada como um sono.

As pessoas sabiam que a menina realmente morreu, mas Jesus menosprezou a morte, mostrando que Ele é o Senhor da vida. Jesus mandou ficar no local só quem tinha fé, ou quem eram os responsáveis. Esse fato deve ser uma diretriz pra gente, pois quem não tem fé pode contagiar e fazer até quem tem duvidar.

Jairo não tinha mais ninguém para socorre-lo

jairo

Como é difícil um pastor com problemas, não é mesmo? Com quem dividir? Com quem falar? O que fazer? Jairo fez a coisa certa: foi até Jesus e numa atitude de conhecimento de quem era Jesus, ajoelhou-se diante dele e implorou que fosse até a sua casa.

Eu estou estudando sobre pastores e seus maiores problemas. Ouvi alguém pregando que problemas mal resolvidos, ou a falta de saber lidar com eles no pastorado pode acarretar pecados e o posterior afastamento do pastor e seu cargo. Jairo tinha um problemão que o desafiava.

jairoNós que temos o Cânon da Bíblia completa, a revelação escrita total, temos vantagens enormes sobre as pessoas daquela época. Praticamente todos os nossos desafios estão descritos na Bíblia e como receber a vitória sobre eles.

Pastor não é super-homem e existem momentos em que precisa se abrir com alguém. O ser-humano necessita de ter amigos. Somos seres sociais e temos a necessidade de andar com gente que nos empurre para cima, pra frente, que nos esforce a caminhar mais uma légua ou duas.

Alguns problemas da nossa época, como as drogas, necessitam de ajuda médica especializada. Orar é necessário, mas precisamos, algumas vezes de orientação especializada. Contamos com muitos profissionais de orientação cristã, dentre eles médicos, advogados, psicólogos e mais uma infinidade de especialidades. Isto no caso de você não se sentir bem para procurar um secular.

Nós precisamos de amigos

Eu me previno ouvindo mensagens algumas vezes complicadas, mas que respondem a perguntas que a Igreja não está sabendo lidar. Entre os pregadores da atualidade, onde estou bebendo da fonte estão Caio Fabio, Paul Washer e Ed René Kivitz, não exatamente nessa ordem. Esses três não têm medo de pregar a Bíblia e nem sobre os problemas atuais.

Precisamos de respostas e a igreja está pregando sobre coisas que não trazem edificação cristã. A igreja atual ainda não descobriu o Novo Testamento e não tem ideia de como precisa dele. Jairo teve problemas, mesmo sendo o pastor de suas ovelhas, o que significa que pode ser que tenhamos também. Somos um corpo e serão muitas as horas em que precisaremos uns dos outros.

Eu tive um problema muito sério no inicio do meu ministério que quase me parou: eu ficava por demais condoído com a situação das pessoas para eu quem orava e ministrava. O culto ou a visitação nos lares pode fazer isso.

Pastores encontram problemas reais

Conhecemos problemas impensados nos lares, como a moça que enxergava um precipício na porta do seu quarto e não saia mais do quarto, ou a irmã que morreu enquanto os irmãos foram orar por ela. Esse caso aconteceu com a minha avó, professora da Escola Dominical da Assembléia de Deus.

Ela estava avançada em idade e os irmãos foram orar por ela, pois nessa época ela não podia mais andar direito. Acontece que ela morreu enquanto eles oravam. Os irmãos ficaram com medo de serem presos, que começaram a orar pedindo que Deus a ressuscitasse, o que de fato aconteceu.

Um Presbítero foi visitar a casa de uma irmã, junto com a igreja e todos oravam de olhos fechados, menos um irmão, o Olemar. Este viu quando um senhor saiu do quarto e pegou uma faca e tentava esfaquear o presbítero. Ele agarrou o rapaz e os irmãos pararam de orar com aquele alvoroço, vendo o Olemar atracado com o homem da faca. Isso foi no inicio do meu ministério.

Uma vez estava dirigindo um culto num lar e a dona da casa ficou endemoniada. Eu falei e agora? Jesus ouviu-me e me mandou abraçar a mulher endemoniada. Eu a abracei e o demônio foi embora.

Eu ia nos lares visitar os irmãos e voltava triste, chorando, totalmente angustiado com as situações, como o irmão que aceitou Jesus com Aids. Quando cheguei à casa do irmão, ele estava mais alegre do que eu. Ele parecia uma caveira, mas estava animado com Jesus, mesmo em estado terminal.

Eu vi muitas crianças que não tinham o que comer e o pai desesperado pedindo um emprego a Deus. Algumas vezes a gente ia visitar os lares e dava tudo o que tinha no bolso aos irmãos.

Não desanime jamais

Com o tempo fui entendendo que a obra é realmente de chorar e o Espírito Santo me orientou para que o meu coração fosse mais forte para saber desses problemas. Pois se eu não podia orar pelos irmãos que ficava pior do que eles, então eu não poderia fazer a obra. Deus trabalhou o meu coração e hoje sei que devemos ser coluna para os irmãos.

Temas Relacionado:

Deus sabe que você está passando problemas, basta ficar firme. Espere em Deus, sempre. Quem sabe você não nasceu para receber a vitória sobre exatamente esse problema? Pastor saiba disso: Deus é contigo.

Paulo Sérgio Lários

Paulo Sérgio é Presbitero, tecnico de informática e escritor

Jairo, o chefe da Sinagoga e o socorro de Jesus

Tempo de leitura: 6 min