Igrejas usam movimentos religiosos para conquistar público

Ultimamente há movimentos religiosos nas igrejas evangélicas que vai na contramão do que a Bíblia afirma como sendo um “culto racional e agradável a Deus”. (Rm 12. 2). Não há na Bíblia nenhuma regra para que saiamos de nosso convívio espiritual para participarmos de certos movimentos que mais parecem algo atípico para quem conhece a Deus. Estamos falando de movimentos religiosos que mais são exibições religiosas, são as vigílias shows.

A Bíblia diz que “nem em todo o barulho Deus está”. Muitos cristãos são levados a esses movimentos,  ao invés de se buscar ao Senhor, passam a noite fazendo barulhos, e até perturbando a ordem pública com tais movimentos.

Para que tenhamos comunhão com Jesus é só buscá-lo de todo o coração, “Buscar-me-ei e me acharei quando mim buscardes de todo o vosso coração”. A questão é justificável quando há pretensões de algumas igrejas. Falta uma conscientização por parte de seus líderes com relação de como o cristão deva “ser e fazer”.

Essa estória de que “nos montes, ou vigílias” se buscam mais a Deus, é coisa de quem não conhece ao Senhor, ou que fazer disso uma forma de se promover ou dizer para os demais que ele ou ela buscam a Deus. Não somos contra as vigílias. Há aquelas realizadas de forma séria e com propósito de adorar a Deus com ordem e decência.

Movimentos religiosos sem base bíblica

movimentos religiosos
Participantes da vigília de homenagem às vítimas dea Maratona de Boston

O que não conseguimos aceitar é certos movimentos religiosos que de cristão não tem nada. São verdadeiros ambientes de “rivilação” e não (revelação). Não importa o lugar ou ambiente. O lugar certo de se buscar a Deus é quando há necessidade disso, quando sentimos que realmente precisamos nos aproximar de Deus.

Se formos pensar diferente, então, porque Deus ouviu Jonas no ventre da baleia. Ezequias na sua cama quando orou ao Senhor, Daniel na Cova com os leões. Daniel fez de sua casa um altar. Todos os dias abria a janela para Jerusalém e orava a Deus. (2 Cr 7. 14-15; 1 Ts 5. 23; Jo 4. 24). Busquemos a Deus não apenas pelo que Ele pode fazer por nós, e sim, pelo que significa para cada um de nós.

José Roberto de Melo:

Pr. José Roberto de Melo é Bacharel em Teologia, Professor, Escritor e Graduado em Direito.

Igrejas usam movimentos religiosos para conquistar público

Tempo de leitura: 2 min