Evangelho, negócio que dá lucros

A mídia tem se posicionado de forma a apoiar alguns líderes religiosos que aparentemente se firmaram como pregoeiros da fé. Por incrível que pareça isso não se configura como verdade. Estamos vendo de tudo, menos o verdadeiro Evangelho que Jesus e os apóstolos pregaram e que a Igreja deve pregar.

Homens que aparentemente aparecem como apóstolos ou pastores,  se fingem de servos de Deus e praticam o que jamais um cristão que serve a Cristo deva fazer.

Manipulam a Bíblia de acordo com seus interesses escusos, usam textos fora do contexto e aplicam como sendo verdades para os seus propósitos. Usa a doutrina do dízimo como forma de amedrontar.

Este é o maior problema das falsas religiões, impõem o que a Bíblia nunca disse. Manipulam o texto de Malaquias e fazem com que as pessoas acreditem em suas doutrinas falaciosas. E têm mais, alguns já criaram o tri-dízimo, isto é, agora não são mais 10% e sim 30%.

Criam outras formulas como tijolos, toalhas, vassouras, lenços, e quaisquer apetrechos ungidos, e seguem suas heresias. Isso não é evangelho. São aberrações e formulas de manipulação religiosa. Leia o que diz Paulo “Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente”. Ef 4. 14.

Pastores que prostituem o evangelho

evangelho

Criam estórias (falsas) e fingem que estão precisando de dinheiro. Até montam teatro em seus púlpitos para sensibilizar os incautos na fé. Lançam uma determinada quantia de valor como entre R$ 1.000,00 até 10.000,00 por pessoas. Arrecadam milhões para uso pessoal.

Isso se configura como estelionato, de acordo com o Código Penal art. 171 – “obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento”. São verdadeiros prostitutos. Estão dentro das igrejas se fingidos de santos, mas suas condutas são mentirosas, vivem uma ilusória filosofia mortal.

Ouvi de um irmão que congregou em uma determinada igreja, que lá o pecado do adultério campeia. Os líderes vão para os motéis com as esposas de membros, e até mesmo ameaçam as pessoas. Isso é caso de polícia e de uma investigação rigorosa do Ministério Público. Eis a razão porque não podemos considerá-los como irmãos e cristãos.

Primeiro porque a palavra Cristão vem de Cristo, ou seja, “Aquele que segue a Cristo”. O vídeo abaixo mostra o Chuck Norris se irritando com a choradeira do Apostolo Valdemiro Santiago e quebra a televisão.

Concluindo, afirmo que é vergonhoso o que estamos vendo no meio evangélico, pessoas que sem temor a Deus acham e fazem com que o povo até mesmo pense que eles são seres divinos.

Temas Relacionado:

Estes manipuladores usam o poder da oratória para convencer os incautos na fé, e os manipulam como querem, esta conduta não tem respaldo do evangelho, e sim negócio de homens corruptos que irão pagar um preço muito alto diante de um Deus que é concomitantemente justiça!

José Roberto de Melo

Pr. José Roberto de Melo é Bacharel em Teologia, Professor, Escritor e Graduado em Direito.

Evangelho, negócio que dá lucros

Tempo de leitura: 2 min