Entrevista com Lázaro de Betânia, o ressurreto

Uma grande aglomeração de curiosos se formou hoje na residência de Lázaro, em Betânia. O motivo do ajuntamento foi à milagrosa ressurreição de Lázaro depois de quatro dias declarado morto. Os fariseus afirmam que tudo não passou de embuste, porém, os médicos que atenderam a Lázaro antes da sua morte, apresentaram como causa de óbito, uma forte gripe que tem vitimado ultimamente a população da grande Jerusalém.

Maria juntamente com Marta (irmãs de Lázaro), ao constatarem que os médicos nada poderiam fazer em prol do doente, solicitaram ao Rabi da Galiléia uma possível cura. No entanto, não fazendo caso dos insistentes apelos das desesperadas irmãs, ele esperou cerca de dois dias para dirigir-se a Betânia.

O correspondente do Diário de Jerusalém, enviado ao local, apurou que Jesus chegando à pequena comunidade foi recebido por Marta que o censurou severamente por sua ausência. Jesus, porém, para confortá-la afirmou que o morto haveria de ressuscitar.

Ante a esta resposta que lhe pareceu tão evasiva, Marta prorrompeu em lastimoso choro, provocando fortes reações na imensa população que a havia acompanhado ao encontro de Jesus, sendo o mesmo alvo de inúmeras criticas.

Jesus chorou por Lázaro

lázaro

Consta-se segundo relato de testemunhas que o próprio Jesus chorou ao confirmar que Lázaro jazia em sua tumba morto há quatro dias. Afirma ainda as mesmas testemunhas que, após balbuciar umas poucas palavras que pareciam mais uma oração, Jesus deu um grande grito: “Lázaro, sai para fora”.

Neste momento o espanto se apoderou da multidão tendo causado um grande rebuliço, pois que da tumba onde jazia o corpo enfaixado e inerte de Lázaro, saiu um espectro que todos identificaram após tirar-lhes as ataduras, como sendo o próprio Lázaro, ainda que estivesse com uma aparência repugnante e a sua pele estivesse pálida.

Este fato causou extrema indignação entre os líderes de Jerusalém, levando-os a se reunirem em conselho para avaliar que medidas seriam tomadas contra o impostor chamado Jesus de Nazaré. Uma força policial foi designada para prenderem a Jesus e publicado um edito intimando a população a denunciar o seu paradeiro. Para escapar da prisão, Jesus e os seus discípulos foram para a aprazível terra de Efraim.

Entrevista com Lázaro

Aos quarenta e quatro anos Lázaro está feliz da vida. Também pudera, além de nascer de novo, agora ele é o centro das atenções na pequena Betânia. Desde a sua ressurreição ele tem sido solicitado a dar inúmeras entrevistas e depoimentos contando a sua incrível experiência. Devido a sua satisfação em fazer conhecido o milagre do qual foi alvo, Lázaro recebeu em seus modestos jardins o nosso repórter para uma entrevista.

Diário de Jerusalém. – Qual a sensação de tornar a viver?

Lázaro – É fantástico! Você passa a valorizar a vida, a dar atenção a pequeninos detalhes que antes passavam desapercebidos.

Diário de Jerusalém. – É verdade que ninguém queria se aproximar de você após a sua saída do túmulo?

Lázaro – Sim. Todos corriam. Ou por espanto ou pelo insuportável cheiro que exalava do meu corpo (risos).

Diário de Jerusalém. – Eu tenho uma dúvida. Se ninguém se aproximava de você, quem soltou as suas ataduras?

Lázaro – Ah! Foi o meu bom amigo Ananias. Ele é curtidor de couros, e sendo assim não se importa muito com cheiros, ou pelo menos os suporta melhor do que nós.

Diário de Jerusalém. – Como é ser amigo de Jesus?

Lázaro – Olha não há palavras para classificar a nossa amizade. Sinto-me extremamente beneficiado em ser alvo dessa amizade e ter fé; aliás, o próprio Jesus declarou momentos antes da minha ressurreição: “Quem crê em mim, ainda que esteja morto vivera”.

Diário de Jerusalém. Você não se sente ameaçado, tendo os fariseus tomado deliberação para matá-lo?

Lázaro – De jeito nenhum. A minha vida está escondido com Cristo em Deus. No entanto, mudei radicalmente o meu propósito de vida

Diário de Jerusalém. – Que mudanças seriam estas?

Lázaro – Bem, sou mais consciente á respeito da minha religiosidade, entreguei a minha vida inteiramente nas mãos de Deus, fazendo a sua vontade. Hoje tanto eu, quanto Marta, reverenciamos a santidade e beleza da adoração. Aprendemos esta lição com Maria

Diário de JerusalémAfinal, tem visto a Jesus?

Lázaro – Não. Eu fui informado de que ele estava em Efraim, mas não creio que vá ficar lá por muito tempo. Ele sabe da obra que o aguarda em Jerusalém.

Entrevista com Lázaro de Betânia, o ressurreto

Tempo de leitura: 3 min