Deus respeita nosso livre arbítrio

Gosto do Yahoo Respostas, há muita coisa interessante por lá. Deparei-me com a pergunta “Deus sabia que Adão e Eva pecariam?”. A objeção a esta pergunta se fundamenta na crença da onisciência de Deus que poderia evitar a queda do homem. É poderia, mas não foi assim. Deus dotou o homem de livre arbítrio, sendo que o mesmo é responsável por suas escolhas.

É justamente sobre o livre arbítrio que vamos falar, trazendo a nosso palco o profeta Elias, onde vamos estudar detalhes do seu ministério profético.

É fácil observar que a situação de Elias era de depressão. Quando Deus falou com o profeta no Monte, ele estava escondido dentro de uma caverna, crendo que não havia mais ninguém em Israel igual a ele, Elias.

O esforçado profeta realmente acreditava que ele era o único e que o ato de esconder-se na caverna estava ajudando a Deus de alguma maneira. Elias se considerava o ultimo cristão da terra, então pensava que ele perpetuaria o nome do Senhor. Deus então o avisa que havia mais pessoas crentes no mundo, além dele. E que a obra não iria acabar por causa dele. 1 Rs 19. 15-19

E o que Deus fala então para Elias, deve ter sido recebido como um baque, uma tijolada: Vai e unge a dois reis e unge um profeta no teu lugar. Elias pensava que estava fazendo o correto, escondendo-se, mas essa faceta de Deus veremos em outros lugares da Bíblia: Deus não gosta de covardes.

O livre arbítrio exercido de Elias

livre arbítrio

Lemos que Elias descendo do Monte e vendo a Eliseu em certo lugar, jogou a sua capa sobre ele, o que se subentende que a unção era passada para Eliseu. Nós lemos o texto bíblico, mas o que é que lemos? Deus mandou a Elias descer do Monte, pois ainda tinha uma obra para Elias, que era ungir a dois reis e por ultimo ungir a um profeta no seu lugar. Descendo do Monte ele escolheu a via mais fácil. Ele ungiu o profeta e não ungiu os dois reis que Deus mandou.

Eu li, faz muito tempo, em algum livro perdido pelo tempo, que o atraso acarretado na obra de Deus, por causa de Elias foi de seis anos. Elias atrasou em seis anos a obra de Deus. Eliseu um dia recebeu a Palavra para ungir aos dois reis. O sucessor fez a obra que era de Elias.

O ato de ungir alguém no seu lugar, era um ato preguiçoso, rebelde e falho. Se Elias era o pastor de Israel à época, o ato dele falava que ele estava ungindo outro pastor no seu lugar, para poder entregar logo o ministério. Você entende porque digo que o seu ato foi preguiçoso, rebelde e falho? Elias não fez totalmente o que Deus mandou fazer. E os dois reis que eram para serem ungidos? Ele não ungiu e parece que se esqueceu disso. Elias não fez a obra. Ungir a Eliseu nesse contexto parece condenável.

Mas profeta até quando erra nos ensina alguma coisa. Elias exerceu o seu livre arbítrio e Deus o respeitou por causa disso. Nem vemos reprimenda de Deus na Bíblia pelo fato de ele não ungir os reis primeiro. Deus respeita o livre arbítrio.

Tolerância e livre arbítrio

Duas coisas ainda me incomodam nesse assunto. Uma é que devemos exercer tolerância com os irmãos. E o motivo é bíblico. Observe: Atos 5. 38-39. “Agora vos digo: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque este conselho ou esta obra, caso seja dos homens, se desfará; mas, se é de Deus, não podereis derrotá-los; para que não sejais, porventura, achados até combatendo contra Deus”.

Paulo e Barnabé amavam a obra de Deus, ambos eram exímios evangelistas, mas ocorreu uma discordância entre eles que os afastaram. Devemos ouvir as partes. Na maioria dos divórcios o problema é causado por falta de comunicação.

Ouvi uma mensagem do Caio Fabio, no site Vem e Vê TV, numa série sobre o Reino de Deus, na qual ele dizia que Jesus tinha uma paciência tão grande que ele ouvia, ou deixava a pessoa falar, prestando atenção, até nas mais absurdas sandices. O Caio disse que frente ao Reino de Deus até as mães podem falar bobeira. E teve uma mãe que pediu para seus filhos ficarem um à direita do Trono de Jesus no Céu e o outro à esquerda.

Mas também na mesma mensagem está o exemplo de Jesus deixando-se inquirir severamente por uma irmã, que aparentemente podia falar assim, pois o Mestre é acessível: Senhor, não se te dá que a minha irmã fique ai, aos teus pés ouvindo teologia e eu fique aqui lavando louça? Olha o jeito de a mulher falar.

Temas Relacionado:

Primeiro que era uma mulher e Jesus veio para quebrar essas barreiras frente às mulheres. Como disse o Caio, a mulher não é um dromedário, mas um ser criado por Deus que também tem pensamentos filosóficos e teológicos dos mais importantes. Jesus sempre respeitou as mulheres.

Paulo Sérgio Lários

Paulo Sérgio é Presbitero, tecnico de informática e escritor

Deus respeita nosso livre arbítrio

Tempo de leitura: 4 min