Conseguindo lucro através da perda (o preço da renuncia)

Um jovem rico chegou para Jesus e perguntou “Mestre, o que é necessário para que eu alcance a vida eterna?. Não somente o jovem rico retratado aqui na passagem do evangelho de Lucas 18. 18-30 tem esta preocupação, toda a alma clama por salvação.

Muitos têm dentro de si esta duvida, este questionamento é salutar. Muitos procuram através desta analise interior ter a resposta para a sua vida, e não era diferente com este jovem.

Jesus afirma em sua Palavra que onde estiver o nosso tesouro, aí está o nosso coração. O moço tinha o coração aplicado na riqueza, aplicado nas coisas temporais. Muitos tem no coração a duvida, o questionamento dentro de si, dentro da sua mente.

O que eu faço para ser salvo, o que eu faço para ser um crente abençoado, o que devo fazer para ser um crente cheio do Espírito Santo. No entanto, ele tem dentro de si forças que dividem suas prioridades, e uma delas é o apego aos bens materiais.

A perda de tudo pelo céu

perda

No caso presente, Jesus falou ao jovem rico que necessariamente ele devesse ser pobre, mas adverte que deve avaliar a sua vida e saber onde o seu coração estava presente. Saber onde o coração estava aplicado. Há um antagonismo aqui, caso perca um, está de posse de outro, não há espaço para ambas as coisas. A perda dos bens terrenos garante a aquisição dos bens espirituais.

Jesus o aconselhou a vender todos os seus bens, a transformar em dinheiro os seus pertences, as suas fazendas e doar tudo aos pobres, mas a Palavra de Deus dá testemunho de que o mancebo saiu triste e amargurado, por que possuía muitas riquezas. Os discípulos de Jesus ficaram assustados, atônitos com esta afirmativa do Mestre.

Mas o que Jesus na verdade deixa evidente com esta declaração é que é o coração não deve estar aplicado aos bens materiais. Ser rico é uma benção, ficar sem Deus é uma desgraça.

Não busque duas direções simultâneas

A limitação física nos impede muitas vezes de nos atirarmos e buscarmos duas direções simultaneamente que se mostram conflituosas entre si. O caso deste jovem demonstra um evidente conflito. Jesus deixou claro para ele, que deveria tirar o coração da riqueza, dos bens materiais. Não se desfazer delas.

Se queremos ser abençoados, sermos cheios da graça do Senhor, então temos de tirar as divisões do nosso coração. Devemos priorizar a comunhão com o Senhor. Seguir num propósito elevado e maravilhoso é ser um cristão cheio do Espírito Santo. Uma pessoa vencedora, confiante nos milagres e prevenção do Altíssimo. E mesmo que se defronte com circunstâncias adversas, deposita a confiança no senhor.

No evangelho de Lucas 12. 33 há uma advertência “Vendeis o que tendes e fazeis para vós bolsas que não se envelheçam, tesouros no céu que nunca se acabem, onde o ladrão não chega e a traça não consome”Uma advertência para que se desfaça do que considera prejudicial a sua vida, deixar de lado o que está impedindo a sua comunhão com Deus. Deixando uma coisa secundária, sem importância dominar sua vida, perderá a sua vida espiritual e o seu ego será fortalecido.

Mas não é assim que o Senhor quer que aconteça, ele quer que você seja abençoado, cheio da graça e misericórdia. Ele quer que você possa declarar “Andei com o coração puro, lembra-te Senhor de mim”. O mais importante para você é ter uma vida guiada e dirigida pelo Senhor Jesus Cristo.

Ganhar perdendo é um paradoxo espiritual

Lembre-se das palavras do evangelista Mateus “Buscai primeiro o reino de Deus e as demais coisas vos serão acrescentadas”. O importante para você é fazer investimentos que tenham rentabilidade (Mt 6. 33), que apresente segurança, construindo um bom fundamento para o futuro, para que alcance a vida eterna. (1 Tm 6. 19). Falar de ganho através da perda parece um paradoxo espiritual, um contra-senso, uma opinião fora do comum.

Isto acontece por fazermos nossas avaliações e julgamentos baseados na nossa visão terrena. Se fizermos nossa avaliação através da fé, compreenderemos o sentido de ganhos através da perda. O evangelista Marcos testemunha dizendo que quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-a, mas quem perder a sua vida por causa de mim e do Evangelho, este a salvará.

Você sabe da intenção e vontade de Deus de te abençoar, mas não quer no momento se dispor a anular a si mesmo. Não quer deixar as coisas do mundo. Sofrer perdas mundanas para ganhar o reino celestial, aproxima o seu encontro com o Senhor. Ec 12. 7

Temas Relacionado:

Quero te lembrar que o Senhor exalta aos humildes e humilha os soberbos (1 Pe 5. 5). Você tem tanto vigor físico, tudo se encaminha bem para você e tua alma como está? Quero te lembrar uma obviedade, depois da tempestade vem à bonança, depois outro temporal, seguindo outra bonança, os dias se sucedem. O ontem é apenas uma lembrança apagada, o hoje se desenvolve sem que saibamos de que forma ira terminar, o amanhã é uma incógnita.

Conseguindo lucro através da perda (o preço da renuncia)

Tempo de leitura: 4 min