Conhecendo a vida oculta de Jesus (desfeito o mistério)

Jesus de Nazaré começou o seu ministério terrestre com trinta anos de idade, mas por quê não antes? A maioridade à época para os meninos trabalharem e as meninas se casarem era de 12 anos. Mas a maioridade requerida para um cargo publico era de trinta anos. Jesus iniciou o seu ministério profético com trinta anos e ai surgem algumas perguntas. Onde estava Jesus antes dos trinta anos? O que fazia, onde morava, com quem estava? Vamos tentar responder a estas questões sobre a vida oculta de Jesus. 

A Bíblia nos fala sobre o nascimento de Jesus em Lucas e Mateus. Em Lucas 2 lemos quando Jesus se tornara adulto com 12 anos, no Templo, com os mestres da Palavra. Mas fora esses dados onde Jesus estava, o que fez dos 12 aos 30 anos?

Sobre esse fato existem dois escândalos, duas decepções, dos que não creem e dos que creem. Os que não creem são movidos pela causa e efeito. Natanael disse em João 1. 45-46: “Pode vir algo de bom de Nazaré?” E essa duvida de Natanael, é a duvida dos que não são cristãos.

Como um sábio, um mestre, um homem iluminado do porte de Jesus Cristo poderia vir de um lugarejo tão sem tradição como Nazaré? Nazaré era uma vila, um lugar de poucas casas e lá não havia uma universidade, um comércio grande, um templo, ou algo que a diferenciasse e formasse sábios.

A pequena Nazaré, sinônimo de preconceito

A vida oculta de Jesus
Ilustração. Jesus na sua fase de adolescente em companhia de seus pais Maria e José

Como era possível Jesus ter vindo de um lugar tão obscuro como Nazaré? Não era possível e ai surge duas ideias, conforme a história nos mostra. Uma das teorias da sabedoria de Jesus é que ele tinha ido até a India, aprender com os sábios da época e voltou para Israel no tempo oportuno. A outra teoria era que aliens, seres de outro planeta, o abduziram e ensinaram algumas coisas e depois o devolveram. Essas duas teorias estão documentadas nos livros de teologia sistemática.

A segunda turma é a dos que creem que Jesus é o Messias (o Salvador do Mundo). A decepção e portanto um escândalo, dos que creem é a do desperdício. O mundo precisando ser salvo e o Salvador estava fazendo cadeiras, portas e mesas.

Em Marcos 6, lemos que certa vez onde ele foi até Nazaré, a sua terra e pregou para eles na Sinagoga, alguns dos que estavam ali não entendiam como poderia ser isso e diziam entre si: Não é este o filho de José e de Maria? A sabedoria que Jesus tinha é a sabedoria que vem do alto.

Como homem ele buscou a presença de Deus e meditou e entendeu muitas coisas e agindo por elas foi tão sábio que virou referência universal. Mas isso ainda não responde a nossa duvida. Aprendemos então três lições com a vida oculta de Jesus.

A vida oculta de Jesus

Primeiro: O silêncio – Até iniciar o seu ministério Jesus estava ouvindo, vendo, percebendo as necessidades do povo. Ele estava aprendendo de Deus, estudando as Escrituras, jejuando. A grande dificuldade do novato é justamente aprender a ficar quieto. O novo convertido quer falar, se expressar, porém tem que aprender primeiro, antes de ensinar. Tem que ler a sua Bíblia inteira, estudar os seus livros, orar, meditar, fazer cursos, o que for necessário para o aprendizado.

Paulo ensinou a Timóteo a não impor as mãos precipitadamente sobre ninguém, ou seja, não era para ungir ao ministério neófito, novo convertido. O novo convertido tem que virar velho convertido para subir ao ministério.

Segundo: Vida familiar – Lucas 2 no mostra que Jesus estava no Templo. Maria e José percebendo que Jesus não estava na caravana voltaram a Jerusalém e o encontraram no Templo e pediram para que ele fosse com eles, apesar da explicação de Jesus, que ele estava cuidando das coisas do seu Pai, ele foi com eles submisso. Jesus era um bom filho, com certeza, o melhor deles.

Jesus teve irmãos e irmãs que ele cuidou e ajudou a criar. Ele era um ótimo irmão, amigo e respeitador. Não há dificuldades em pensar em Jesus ajudando os irmãos menores a andar, se prontificando no cuidado e proteção como irmão mais velho. Jesus dignificou o que significa vida familiar. Jesus era uma pessoa amável, como podemos observar lendo a Bíblia.

Terceiro: Trabalho – Jesus sabia o que era trabalhar. Aprendiz da profissão do pai, posteriormente mestre no seu oficio, ele sabia o que era ter prazos e provavelmente dinheiro curto. Novamente não temos dificuldades em imaginar que Jesus dignificou também o trabalho.

Onde Jesus estava nesses anos obscuros?

Mas a nossa pergunta ainda não está respondida: Onde Jesus estava nesses anos obscuros de sua vida? Observando a família deles nós vamos perceber isso. Maria, mãe de Jesus era uma dona de casa comum, amorosa, que tinha marido e filhos e uma casa pra cuidar e no ministério de Jesus vemos que ela sempre esteve por perto. Maria era uma mãe que amava sua família e com certeza Jesus herdou isso.

José, o pai adotivo de Jesus não é mais referido na Bíblia, depois de Lucas 9. Imaginamos que José tenha morrido, que é o que a tradição bíblica afirma. Entre os 12 anos de Jesus e os seus trinta anos, José morreu e Jesus, que era o primogênito da família, o filho mais velho, assumiu a responsabilidade por todos. Por isso Jesus não se ausentou da sua família. Jesus sempre esteve na sua casa.

E notamos que quando Jesus foi para ser batizado nas águas, ele ainda era de Nazaré. E onde é que Jesus estava então durante todos esses anos? Em Nazaré. Jesus sempre esteve em sua casa com a sua família. E isso é uma tremenda lição. Jesus estava vivendo a vida ordinária, comum, do dia a dia. O que nós podemos não entender, é que a maior parte da vida de Jesus foi uma vida comum. Jesus estava na sua casa, com a sua família, vivendo a vida.

E essa é a lição que devemos prestar muito atenção, Assim como a maior parte da vida de Jesus foi comum, ainda assim ele nunca deixou de ser cristão, ou praticou algo errado por causa da aparente falta de ação. Entendemos que o ministério de Jesus durou três anos e meio, porque os Evangelhos mostram três páscoas e não quatro.

Até os 30 anos Jesus foi uma pessoa comum

Mas durante trinta anos Jesus foi um crente comum, sem manifestação de dons, ou nada que indicasse que ele viria a ser o grande Salvador do mundo, o Messias de Israel. Não é indigno viver a vida comum, assim como o trabalho diário, ou ser mãe e dona de casa ou pai e dono de casa. Nós, a Igreja, somos mais tempo crentes comuns, do que crentes incomuns, com manifestações de dons. Devemos aproveitar a vida então e viver e comer e passear.

Devemos dar as mãos para as crianças pequenas e sorrir nas festas e abraçar os pais e mães. Se fosse hoje Jesus iria ao Shopping e talvez ao cinema, nos restaurantes, teatros e museus, com certeza. A Bíblia afirma que Deus é amor, portanto o amor vem dEle e amar é ser cristão. Não o amor interesseiro, mas o amor puro, sadio. Não faz mal beijar ou abraçar, acho até que faz é muito bem.

Temas Relacionado:

A conclusão é que sempre haverá aqueles que vão pensar no que não interessa. Tem os que não creem nos profetas de Deus. E tem aqueles que querem ensinar, sem aprender. Mas de tudo isso, que fique claro que não é indigno ser dona de casa, ou cuidar dos filhos, ou irmãos. As responsabilidades caseiras são importantes para o crescimento de todos nós.

Onde Jesus estava nos anos obscuros da sua vida? Ele estava na sua casa, vivendo a vida comum, ordinária, do dia a dia.

Conhecendo a vida oculta de Jesus (desfeito o mistério)

Tempo de leitura: 6 min