Como entender a graça salvadora (Soteriologia)

A Doutrina do pecado dentro da teologia sistemática pouco é ensinada na seara cristã. E há muitos cristãos que ainda carregam consigo dúvidas quanto a Salvação de Deus (Soteria). Eles a desconhecem porque não tem sido ensinados de como Deus usou os meios que nos deram o maior privilégio e segurança, isto é, por meio da “Graça Salvadora” – Tt 2. 11

Deus quis nos salvar, é tanto que perdura a verdade desse argumento desde a antiga aliança que IAVÉ fez com o homem (Êx 3. 6-7 e 8; Gn 3. 15). É crível que se afirme que a Salvação é um “Dom” – dádiva divina outorgada pelo Senhor aos homens sem que eles fossem merecedores de tal feito.

Bem, é por meio da Graça de Deus que todos somos partícipes por algo que estava distante ou sem qualquer possibilidade humana. O homem não era merecedor da Salvação. A Salvação é um ato de amor e misericórdia (cárdia – coração).  Por esta razão que João escreveu,  que Ele quis dá a graça imensurável para que dela todos os homens alcançassem a salvação que veio do Alto. Jo 3. 16

A grande verdade deste contexto bíblico é que, nada é justificável pelas razões humanas, ou que alguém se sinta privilegiado mais do que o próximo. Enseja num erro crasso quem pensa dessa forma. Deus não deu a sua graça salvadora por causa de privilégios de exclusividades. Porque se isso tivesse acontecido, o que seria dos gentios.

Bem falou o apostolo Pedro na biografia de Lucas em Atos dos apóstolos, quando disse: “Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas” (At 10. 1). Ah, que Salvação grandiosa nos veio dos céus, o Senhor nos privilegiou de forma que dela participássemos sem acepção.

A graça não tem condições de exclusividade

No poço de Jacó, Jesus deixou claro isso para a mulher de Samaria. Se olharmos com olhos analíticos veremos porque Ele usou a expressão “porque a Salvação vem dos Judeus”. Não existe da parte de Jesus nenhuma exclusividade, ou privilégios direcionados aos judeus. Ele apenas estava se declarando ao mundo de que a graça e salvação vieram da parte de Deus por meio de um judeu.  Jo 4. 1

Podemos ter a certeza de que a salvação como um dom de Deus está acima de qualquer espírito religioso. Na minha óptica de visão, alguns por não ter o conhecimento dessa matéria em tela, acham que os seus conceitos estão acima de tudo e de todos, e sem olhar a lógica divina quebram o que Deus determinou.

E isso perdura pelos meios humanos e nefastos, porque destrói o que Deus determinou por meio de Jesus Cristo. Em suma, a Salvação é um dom especial de Deus a todos os homens sem qualquer ajuda humana. O que seria uma estupidez condicioná-la.

A graça salvadora alcança a qualquer pessoa

graça salvadora

Fica bem evidente de que não há privilégios, e nem privilegiados. Todos estão envolvidos na mesma graça. A graça salvadora tem o poder de alcançar qualquer vil pecador, não importando condição social, raça ou etnia. Todos fazem parte do plano da salvação de um Deus misericordioso. Outra coisa que gostaria de pontuar aqui é que, algumas pessoas por puro egoísmo religioso, não conseguem enxergar Deus na vida de outras pessoas.

E foi justamente isso que aconteceu com Pedro, quando Jesus Cristo se revelou a ele em visão com relação ao plano de Deus em alcançar os gentios (At 10. 1). É lamentável quando dentro de algumas denominações esse espírito religioso perdura. No entendimento de algumas pessoas, pertencer à denominação tal ou a ministérios, os fazem ser melhores. E a graça de Deus, onde fica?

É preciso que se diga aqui que, Deus não deu a nenhuma organização religiosa, Procuração de Exclusividade. Ora, Deus enviou sua graça salvadora (Cristo Jesus), para que dela bebêssemos. Ele firmou a sua promessa de salvação sem fazer qualquer acepção. Tt 2. 11; Ap 5. 9; Jo 3. 16; Rm 5. 1-2; 1 Tm 2. 4 e 5

Temas Relacionado:

Enfim, somos salvos pela graça (Ef 2. 8-9). Perdoados por Deus (Is 1. 18). Justificado pela fé (Rom 5.1). Libertos pelo sangue de Jesus Cristo (1 Jo 1.7). Estamos convictos que recebemos o seu verdadeiro perdão por meio da Cruz do Calvário.

José Roberto de Melo

Pr. José Roberto de Melo é Bacharel em Teologia, Professor, Escritor e Graduado em Direito

Como entender a graça salvadora (Soteriologia)

Tempo de leitura: 3 min