Cada um é responsável por seus atos

Bem, nós sabemos que há pessoas com diferentes temperamentos e atitudes, sendo cada pessoa responsável por suas escolhas e atos. Deus é amor, e este amor não anula sua justiça. O termo justiça quer dizer fazer julgamento baseado em virtude moral. Praticar a justiça aplicando elementos de legalidade, igualdade e retidão.

Aplicar a justiça é a ação de julgar e atribuir a cada um o que lhe compete, segundo termos pré-estabelecidos e reconhecidos pela sociedade.

Então temos a segurança de que Deus julga com eficácia, sendo justo e reto em suas decisões. Vamos a um fato esclarecedor da Bíblia no livro de Jó 33. 14-17.

“Antes Deus fala uma e duas vezes; porém ninguém atenta para isso. Em sonho ou em visão noturna, quando cai sono profundo sobre os homens, e adormecem na cama. Então o revela ao ouvido dos homens, e lhes sela a sua instrução, para apartar o homem daquilo que faz, e esconder do homem a soberba.”

Na concordância com Jó temos o apóstolo Paulo declarando que os gentios diferentemente dos judeus que estavam debaixo da Lei, não estavam desamparados do conhecimento e testemunho de Deus, uma vez que em seus corações estão gravadas as coisas da lei, provocando a consciência e norteando os pensamentos na relação com o Criador e Senhor. Rm 2. 14,15.

Concluímos que diante do Senhor ninguém será tido por culpado ou inocente e que cada um receberá o veredicto da sua sentença conforme suas obras (Ap 20. 12,13). Agora nós lemos uma coisa impressionante no livro de Isaias 48. 22 “Mas os ímpios não tem paz, disse o Senhor”. Este mesmo verso se repete no capitulo 57.21, ou seja, nove capítulos depois, temos esta advertência. Havendo resistência da parte do homem, ele será entregue a destruição. Pv 28. 13; 29.1

Para sustentar o que temos afirmado, vamos apresentar a terceira declaração do Senhor no mesmo livro de Isaias 66. 24: “E sairão e verão os corpos mortos dos homens que prevaricaram contra mim”.

Sou o responsável maior por minha salvação

responsável
Não seja o martelo que destrói

Não tendo prazer na morte do ímpio Deus não o poupa, pois não pode anular-se a si mesmo. Ele não atropela a sua justiça. Aquele que sendo justo desvia-se do Senhor, necessita recuperar a misericórdia do Senhor, deixar os caminhos maus e retornar ao seio da Graça. Ez 18.

Se alguém de boa mente se aproxima de Deus, buscando conhece-lo, este o acolhe prazerosamente em seu seio, mas, se ao contrário resiste a ordenação de Deus, é entregue as paixões, a sentimentos perversos i,e; é deixado para ser levado por suas próprias concupiscências. Rm 1. 18-32

Uma filosofia agnóstica, que sustenta que Deus está em tudo, em todos, e todos os lugares é manifestada sua presença, tira toda a responsabilidade da criatura com o criador, uma vez que estando em tudo e todos, logo, não precisa de intima comunhão com ele. Um laço para prender os incautos, quem quiser viver sem Deus, que viva, ignorando-o. O barro não pode contender com o oleiro. Cada um é responsável por suas proclamações.

Não estou sustentando que há os nascidos para a salvação e os destinados a perdição eterna. Estou sustentando que cada pessoa é responsável por seus atos. Há pessoas que endurecem o coração, resiste a graça do Senhor e há pessoas que tem o coração endurecido.

Temas Relacionado:

Veja o exemplo de Faraó, por dez vezes lemos nas passagens em que ele é retratado como alguém que “endureceu o coração contra Deus”. Em contrapartida também lemos que por dez vezes Deus endureceu o coração de Faraó, com um propósito especifico, conforme relato de Ex 9. 16 “Mas, deveras, para isto te mantive, para mostrar meu poder em ti, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra”.

Hei, estou também no Facebook, me adicione lá. 🙂

Cada um é responsável por seus atos

Tempo de leitura: 3 min