Até onde vai a paciência de Deus?

A justificação pela fé é um dos temas mais recorrentes de Paulo no livro de Romanos, para explicar o que seja salvação. O texto básico na verdade é o livro de Romanos inteiro, que faz uma exposição detalhada da condição humana, a paciência de Deus frente ao pecado humano, inspirado por Satanás, e para onde deveremos ser encaminhados agora, no Novo Testamento, que é ser cheio do Espírito Santo, que nos liberta.

Parece que numa primeira leitura de Romanos, o livro divide-se em antes do cap. 8 e após o cap. 8. Sendo assim o cap. 8 é uma enorme pedra angular de Romanos. O capitulo oito deve ser estudado e pregado profundamente. Um texto menor, mais sintetizado a respeito da justificação pela fé, pode ser Rm 3. 21-26:

Mas agora se manifestou uma justiça que provém de Deus, independente da lei, da qual testemunham a Lei e os Profetas, justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que creem. Não há distinção, pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.

Deus o ofereceu como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando a sua justiça. Em sua tolerância, havia deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; mas, no presente, demonstrou a sua justiça, a fim de ser justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.

O texto é um primor e acho que devemos revisar, ou ensinar, para quem não o fez ainda, as doutrinas da fé. De vez em quando é necessário uma renovação do nosso ensino, pois se estamos aprendendo e continuamos a aprender, então o que ensinamos a dez, ou mais anos, precisa ser revisado sob a nova ótica do novo.

Ah, se não fosse a paciência de Deus!

paciência

Aqui Paulo está discorrendo sobre o assunto de que a humanidade e o judeu pecaram, todos pecaram e merecem a punição da justiça de Deus. Mas fomos justificados, i. é. Fomos libertados pelo Juiz, feitos livres por Ele, que nos perdoa a divida. Algo teve que acontecer para que Deus pudesse perdoar essa divida.

Essa divida que era um pecado, uma transgressão. A contravenção da Lei de Deus, precisa ser resolvida de duas maneiras: primeiro é necessário resolver a respeito do geral e depois do particular. A divida geral é o pecado passado à humanidade como lei espiritual, e o pecado precisava ser resolvido também como ato individual.

Se o pecado é uma lei espiritual, então não é questão de eu praticar ou não, eu tenho de praticar, pois é uma lei nos meus membros, como disse Paulo. Por outro lado existe o ato do pecado, o gosto pela coisa, a vontade de pecar.

Individualmente precisamos então de libertação. A justiça de Deus, ou a justificação pela fé, fala dessas coisas. E nesses termos todos, ao se falar sobre justificação pela fé, quer dizer: o próprio Deus provendo um meio de nos libertar da lei do pecado e da vontade de pecar, fala sobre ao equilíbrio de Deus.

A tolerância de Deus deixava os pecados impunes

Essa frase bíblica é muito forte e perigosa para nós. O nosso pecado cometido, que sempre é em primeira instância contra Deus, foi cometido, permitido, por Deus, nunca querido, nunca desejado, porém, só e unicamente pela paciência de Deus. Deus vai tendo paciência em nos ver pecar e vai permitindo, durante um tempo o pecado. Deus vai tendo serenidade. E pelo que entendemos de paciência, ou quando alguém fala que está tendo paciência, o contrário é verdade e já está estourando por ai: Deus está perdendo a paciência com o pecado cometido.

É isso que dá a entender o texto bíblico. Deus teve serenidade com os pecados cometidos até que acabou-se a sua paciência e Ele proveu um meio de a humanidade sanar a divida para com Ele, que é a justificação pela fé. A questão não é que Deus vai ter paciência com o pecado. Não, leia direito.

O Calvário restaurou a paciência de Deus

Ele já esgotou a paciência e então proveu um meio para não destruir todo mundo, que é a maneira do homem cumprir a Lei de Deus. Mas como vamos cumprir a Lei de Deus? Não vamos! Eu não posso fazer isso e nem você. Não somos justos o suficientes para isso. Eu não posso me resolver quanto a isso. Nem você. Ninguém pode.

Por isso Deus proveu Jesus para nós. Deus mandou Jesus com o intuito de que Ele fosse a propiciação, sacrifício perante Deus, para nos abençoar. Deus agora trata o pecado como lei e o pecado individual, em Jesus. Precisamos urgentemente de Jesus. Pecou, fale com Jesus correndo. Peça perdão urgente. Perdoe a quem te magoou.

Temas Relacionado:

Você está me entendendo? Deus não está tendo paciência com o pecado, ela esgotou-se em relação a isso. Não peque e ensine os outros a não pecarem. O pecado é assunto perigoso. Deus propôs propiciação (sacrifício, pagamento) pela fé no sangue de Jesus (o sacrifício da cruz), para demonstrar a sua justiça pela remissão (pagamento) dos pecados dantes cometidos sob a paciência de Deus. A justificação pela fé significa que a longanimidade de Deus em relação ao pecado acabou.

Paulo Sérgio Lários

Paulo Sérgio é Presbitero, tecnico de informática e escritor

Até onde vai a paciência de Deus?

Tempo de leitura: 4 min