A semana da crucificação, os últimos passos de Jesus

Meditando sobre a Semana da Crucificação de Jesus, esse texto nos fala da quarta-feira, onde Jesus foi ungido por uma mulher e traído por Judas, um dos seus discípulos. Jesus estava orando no Getsemani e foi preso e arrastado a seis julgamentos de quinta para sexta. Na sexta foi crucificado e morto. No sábado Jesus foi ao inferno e lá resgatou a morte. No domingo ele ressuscitou. Mc 14. 1-11

Esse texto lido, e que aparece nos outros evangelistas, é uma introdução que a própria Bíblia faz sobre os relatos da crucificação de Cristo: 1º Jesus afirma que daqui a dois dias será entregue para ser crucificado; 2º Os sacerdotes se encontram em Jerusalém para decidir como matar a Jesus; 3º Jesus ungido por uma mulher; 4º a traição de Judas.

A Bíblia diz que uma mulher aproximou-se de Jesus, quando ele estava na casa de Simão, o leproso e fez três coisas: 1º trouxe um vaso de alabastro com preciosismo perfume de nardo puro; 2º quebrou o alabastro (o lacre); 3º derramou todo o bálsamo na cabeça de Jesus. O efeito foi que toda a casa ficou cheirando a bálsamo, o perfume de unção.

O vaso de alabrasto com unguento

jesus

Frasco de gargalo comprido, feito de material delicado e transparente. Segundo João 12 esse vaso de perfume custava 300 denários, o equivalente a um ano de trabalho, em valores atualizados a partir de um denário, entre 15 e 20 mil dólares. Aproximadamente 60 mil reais. Esse foi o presente mais caro que Jesus recebeu em todo o seu ministério. Então essa mulher trouxe o que de mais precioso ela tinha e o ofereceu a Jesus. Estamos oferecendo o nosso melhor para Deus?

O alabastro é uma espécie de gesso branco, delicado, que era usado como lacre. Uma vez quebrado o alabastro, tinha-se que usar todo o perfume dentro do vaso. Além de o presente ter sido caro ele fora dado sem retorno, ela derramou todo o óleo na cabeça de Jesus. Jamais seria re-utilizado o vaso e nem o seu perfume.

Algumas coisas precisam ser quebradas nas nossas vidas, definitivamente, para Deus poder nos usar. Alguns crentes são inquebráveis, mas precisam ser quebráveis, flexíveis, para serem usados por Deus. Vaso que nunca foi quebrantado é vaso que nunca ofereceu nada. Derramar tudo o que temos é derramar a nós mesmos para Ele.

Unção significa capacitação do Espírito para tal obra. No AT reis e sacerdotes eram ungidos para assumirem seus ministérios. Jesus já era ungido, cheio do Espírito Santo, desde o ventre, mas Deus ungiu Jesus com o Espírito Santo e com poder. Atos 10. 38 e Lc 4. 18.

Jesus foi ungido para desfazer as obras do diabo (Atos 10. 38) – E a respeito da mulher Jesus diz que (Mt 26. 12): Pois, derramando este perfume sobre o meu corpo, ela o fez para o meu sepultamento. Profeticamente Deus dava forças para Jesus passar pela cruz.

A traição de Judas

Qual é o pecado considerado como numero um da humanidade? Aquele que quando sabemos, ou pensamos a respeito a gente reconhece que o cara pisou, mesmo na bola? A rebelião? A rebeldia? Querer ser Deus? Idolatrar a si mesmo? Esse pecado não é exclusivo da humanidade, na verdade ele é o pecado de Lúcifer; esse é um pecado maligno, demoníaco e se alguém tem esse pecado, tem demônios operando. Então qual é? O assassinato? Matar alguém, premeditadamente ou não?

Também não é esse, pois Davi era um homem de sangue, um soldado e Deus o perdoou. Até mesmo quando ele matou o marido da mulher que ele engravidou. Então qual é?  A traição é a quebra da confiança.

Quando falamos em traição, lembramos do clássico, que é um dos pares do casal traindo o outro, ou o marido que está namorando alguém que não é sua esposa, ou a esposa que está namorando, tendo um relacionamento de alguma espécie, com alguém que não é o seu marido. Isso vale para os namorados e para os noivos, também. Mas traição não é só de cunho sentimental. Judas traiu o seu mestre. E o interessante que Judas traiu Jesus com um beijo. O símbolo máximo de carinho e afeto.

Por que Judas traiu Jesus?

Essa é uma pergunta difícil de ser concluída numa única resposta, pois não vemos Jesus fazendo algo que o agravasse tanto. Não sabemos se algo estava ocorrendo na família de Judas, ou com ele, para que agisse assim. O motivo político, querer empossar Cristo como rei, não tem lá muito respaldo bíblico, apesar de estar lá.

Aparentemente Judas traiu Jesus por dinheiro. Mas o motivo para mim parece outro. João 13. 2 diz que o diabo colocou no coração de Judas que traísse Jesus; Atos 1. 25 diz que Judas se desviou; Efésios 4. 27 diz: Não deis lugar ao diabo. Parece que Judas fez tudo isso: deu lugar ao diabo, desviou-se, ouviu Satanás que encheu o seu coração. A lição aqui é que é muito perigoso flertar com o diabo, ele é muito perigoso. Judas perdeu a salvação e morreu. Judas traiu Jesus porque desviou-se, caiu da graça.

Judas tinha culpa ou não? Ele cometeu um pecado ou foi Deus que o fez pecar? A Bíblia mostra que Deus sabe previamente quando alguém vai pecar. E Deus sabia que Judas iria pecar, isso não significa que Deus queria que Judas pecasse.

“Estava se aproximando a festa dos pães sem fermento, chamada Páscoa, e os chefes dos sacerdotes e os mestres da lei estavam procurando um meio de matar Jesus, mas tinham medo do povo. Então Satanás entrou em Judas, chamado Iscariotes, um dos Doze.” Lc 22. 3

É muito fácil culpar o diabo, mas nós temos sempre uma parcela de culpa pelo que nos ocorre. Judas de algum modo deixou, o diabo entrar. Ele bem sabia como o diabo agia, pois ele expulsava o demônio dos outros. É lógico que o diabo tenta, e sempre vai fazer isso, mas cabe a nós resistir.

O plano de Satanás para Judas trair Jesus

Em primeiro lugar entendamos que os sacerdotes de Israel não precisavam de Judas para identificar Jesus, eles já o conheciam. Judas não era necessário para o julgamento, nem para a acusação e nem pra nada, eles não precisavam de Judas. Satanás precisava de um modelo, onde qualquer um, em qualquer tempo, ao olhar para ele, poderia ficar tentado. O plano tinha algumas fases:

1 – Era dizer aos seguidores de Cristo que Deus não nos guarda e que poderemos ser presa na mão do inimigo a qualquer momento

2 – O diabo mandava um recado direto para o Céu, no qual dizia aos anjos que estavam no Céu, que Deus deixou que ele: Lúcifer, pecasse e Deus não o guardou e nem aos anjos caídos que estavam com ele, pois ele, então, não era culpado de ter se rebelado contra Deus e a culpa era de Deus

3 – O diabo mandava um recado para o Céu dizendo aos anjos que se quisessem fazer uma nova rebelião e se aliar a ele, o diabo, essa era a hora.

Temas Relacionado:

Jesus tem a palavra final, quanto ao seu poder guardador: “Enquanto estava com eles, eu os protegi e os guardei pelo nome que me deste. Nenhum deles se perdeu, a não ser aquele que estava destinado à perdição, para que se cumprisse a Escritura”. João 17. 12

Paulo Sérgio Lários

Paulo Sérgio é Presbitero, tecnico de informática e escritor

A semana da crucificação, os últimos passos de Jesus

Tempo de leitura: 5 min