A Palestina do período egipcio ao romano

Voltamos com a sequência do nosso Estudo Bíblico – Introdução aos Evangelhos, na abertura iniciamos a abordagem do aspecto dos dias de Jesus, indo até o período grego, hoje damos prosseguimento elencando os demais períodos, recomendamos vivamente a leitura de a História dos judeus de Flávio Josefo e os livros de Macabeus I e II dos livros apócrifos para uma revelação mais ampla. Vamos considerar primeiramente o Período Egípcio.

O período egípcio foi o mais longo período da era intertestamentária (323-204 AC). Este intervalo se caracterizou pelas disputas entre a Síria e o Egito, tendo entre ambas a Palestina, ora como prêmio, ora como vítima. Neste período, surgiu a versão dos setenta (LXX), obra realizada a mando do rei egípcio Ptolomeu II Filadelfo.

Citando a Wikipédia diremos sobre o Egito Ptolemaico, que decorre entre 305 a.C., ano em que um antigo general de Alexandre Magno, Ptolemeu I Sóter, se tornou rei do Egito, e 30 a.C, quando a rainha Cleópatra VII foi derrotada e o Egito passou a ser integrado no Império Romano como província.

Período Sírio, o mais trágico e cruel

O período sírio (204-165 AC) foi dentre todos, o mais trágico e cruel para os judeus. Vejamos suas implicações:

  • Divisão da Palestina em províncias, a saber, Judéia, Samaria, Galiléia, Peréia e Tracontes.
  • Surgimento de um partido com idéias helenistas, defendendo inovações anti-semitas, precipitando acontecimentos que provocaram até mesmo assassinatos.
  • Destruição de Jerusalém em 170 AC por Antônio Epifânio, e profanação do Templo.
  • Pilhagem do Santo dos Santos, a religião judaica foi banida.
  • Proibição de circuncisão com a imposição do paganismo à força sobre o povo.  Administração da terra por um governador estrangeiro.
  • Elevação de um traidor ao sumo-sacerdócio.
  • Profanações do Templo de Jerusalém e Samaria e a conseqüente reedificação dos mesmos a Júpiter Olimpio e Júpiter Xênio respectivamente.
  • Todas as cópias da Lei encontradas foram queimadas ou desfiguradas com figuras idólatras, e seus possuidores executados.  Apostasia de milhares de judeus. I e II Macabeus
  • Apostasia de milhares de judeus. I e II Macabeus
período
Palestina no tempo de Jesus – Créditos da imagem www.katapi.org.uk

Período Macabeu, revolta e resistência

5° Macabeu (165-63 AC). Em vista das circunstâncias esposadas acima, surgiu um movimento de revolta e resistência, partindo de uma família sacerdotal. Matatias e seus cinco filhos organizaram a resistência, que encontrou eco em milhares de vidas piedosas. A resistência alcançou gloriosas vitórias contra seus inimigos. Os macabeus conseguiram instituir novamente a independência judaica.

Entretanto, as amargas contendas partidárias foram agravadas por repetidos conflitos, tendo uma evolução para uma guerra civil, que culminou com a intervenção romana. 

Período Romano, a expansão do evangelho

6º Romano 63 AC. Roma sempre tira partido das lutas entre povos ou dissensões no seio dos países. Estando presente na Palestina o cônsul Pompeu, ele resolve intervir na disputa. A intervenção incorreu na perda da independência do estado judaico, tornando-se o mesmo uma província romana. 

Nas palavras de Plínio Roma é o império, a confluência de mitos, idiomas, tradições, artes, espírito militar e consciência humana de todos os povos. A sua própria estrutura militar já não é de caráter nacionalista. Recrutam-se legionários em todas as províncias. Para expansão de seu império são abolidas fronteiras. Para locomoção do exercito estradas são abertas ou ampliadas, portos construídos e guarnições estabelecidas em todo o império.

Temas Relacionado:

Concluindo, o aspecto político do Período Interbíblico, vale ressaltar que as estruturas criadas pelo império romano foram de muito proveito para a divulgação de uma religião que acabava de nascer, o cristianismo. No próximo painel abordaremos o Aspecto Social e Religioso dos dias de Jesus, veremos o que há de interessante neste período.

A Palestina do período egipcio ao romano

Tempo de leitura: 3 min