10 informações que você precisa saber sobre a luxúria

Eu quero responder a uma pergunta muito inquietante para os cristãos que vivem nesta sociedade saturada de sexo: Como podemos vencer a guerra contra a luxúria e o pecado sexual evidente que resulta da luxúria? Somos bombardeados diariamente com sensualidade. Você não pode ver televisão, ler uma revista ou dirigir passando por outdoors sem ser confrontado com as imagens e mensagens descaradamente sexuais.

Todos nós sabemos que, como cristãos, devemos evitar a imoralidade sexual. A pergunta difícil é: Como? Sendo um homem, estou escrevendo como um homem para os homens, embora o que eu digo tenha muita aplicação para as mulheres também. Durante anos eu lutei uma batalha perdida contra a luxúria.

Não seria rentável eu entrar em detalhes descrevendo minhas derrotas. Mas para que você saiba que eu estive lá, eu vou dizer que desde minha adolescência, eu fui um apreciador de mulheres sensuais. Eu era um cristão, mesmo um “comprometido” cristão e seminarista durante algum desse tempo, envolvido em servir ao Senhor. Mas fui derrotado pela luxúria.

Como eu venci a luxúria

Eu ainda perco uma escaramuça ocasional. Mas pela graça de Deus, há muitos anos, tenho vindo a ganhar a guerra contra a luxúria. Quero dizer-lhe como. Várias coisas me ajudaram a passar da derrota para a vitória consistente. Eu fiquei com medo. Eu sabia que deveria ser santo. Anos atrás eu me rendi a minha vida ao Senhor, de acordo com Romanos 12. 1-2. Mas isso não fez muita diferença na minha batalha contra a luxúria.

Finalmente cheguei a um ponto em que o Senhor me encostou no canto e perguntou incisivamente: “Você quer ser um homem de Deus ou você quer estar brincando com esse pecado?” Eu tive que fazer uma escolha para ser santo. Teoricamente, essa decisão é fácil. Mas, na realidade, é uma luta feroz, porque, francamente, eu gosto de olhar para uma mulher sensual. Os hormônios começam a bombear quando eu banqueteio meus olhos em uma dessas criaturas maravilhosas.

Deus usou duas coisas para me mostrar onde a luxúria sem controle pode levar, o que me assustou em lidar com o meu hábito de luxúria. Em primeiro lugar, eu estava assustado com a devastação causada na vida de um amigo que foi arruinado pelo pecado sexual. Quando me formei no seminário, eu verifiquei diversas situações do ministério.

1- A luxúria pode arruinar seu ministério

luxúria
A sua bebida se foi; lançaram-se à luxúria continuamente; certamente os seus governadores amam a vergonha. Os 4. 18

Em uma oportunidade estava envolvido trabalhando como associado de um homem que eu vou chamar Bob, que é cerca de oito anos mais velho do que eu. Bob tinha fundado uma igreja próspera no sul da Califórnia e precisava de ajuda com as demandas crescentes.

Eu fui atraído para trabalhar com ele, porque ele parecia ser um homem profundamente espiritual. Ele costumava sair sozinho para os momentos de meditação e oração. Sua vida familiar parecia sólida. Ele tinha sido casado por quase 20 anos e teve quatro filhos, o mais velho em sua adolescência. Eu pensei que eu poderia aprender muito sobre o ministério ao trabalhar com ele.

E finalmente decidi aceitar outro pastorado que me permitiu pregar regularmente. Cerca de um ano depois, eu não tinha ouvido falar de Bob, apesar de uma ou duas palavras da minha parte. Quando eu comentei com um amigo em comum, ele disse: “Você não soube? Bob deixou sua esposa e família e foi morar com uma mulher de sua igreja.” Fiquei estupefato!

Poucos meses depois, eu estava em uma conferência de Francis Schaeffer. Dobrei a esquina em que multidão de mais de 2.000 estava reunida e fiquei cara a cara com o Bob. Seu rosto refletia sua agonia. Nós saímos para tomar um café e ele contou toda a bagunça para mim.

Tinha começado quando ele e sua esposa foram longe demais como adolescentes. Ela engravidou e eles se casaram sob pressão. Ele sempre abrigou dúvidas em sua mente para saber se ela era o melhor de Deus para ele. Satanás usou esses pensamentos como o crack para dirigir a atenção de Bob para outra mulher que fosse “mais atraente”.

2- A luxúria arruína relacionamentos

Cerca de três anos depois, vi Bob em outra conferência, em outra parte do estado. Ele estava ali para aconselhar-se com um dos palestrantes. Eu nunca vou esquecer o olhar contínuo de devastação em seu rosto. Ele parecia abatido e muito mais velho. Eu desliguei a memória de seu rosto na galeria da minha mente.

Eu paro e olho para ele sempre que eu estou tentado a perseguir no pecado da luxúria. Uma segunda coisa que o senhor costumava assustar-me para ficar sério sobre santidade era minha responsabilidade como pai e pastor.

Anos atrás eu estava empurrando a nossa primeira filha em seu carrinho do shopping enquanto minha mulher estava em uma das lojas. As mulheres no shopping estavam vestidas (ou melhor, não-vestidas), em trajes de verão nativo do sul da Califórnia.

Uma particularmente me chamou a atenção e eu encontrei os meus olhos, fiel ao hábito, verificando-a. Então eu olhei para a nossa meiga filha, tão inocente em seu primeiro ano de vida. Como seu pai, eu iria defendê-la de qualquer inimigo, humano ou animal. O Senhor apunhalou meu coração com o pensamento: “Por que você está permitindo que o pior inimigo, Satanás, tenha acesso a sua filha através deste buraco em seu guarda-chuva de proteção?”.

Ao refletir sobre esse incidente, eu comecei a suar frio quando percebi que não só a minha família, mas as pessoas que pastoreei estariam vulneráveis ao inimigo, se eu não renunciasse ao meu ato. Você pode não ser um pastor, mas se você é um cristão, aqueles que estão fora da fé serão prejudicados se você caiu em pecado sexual.

O evangelho de Cristo seria caluniado. Percebendo como a minha tolerância da luxúria mim atingiu, eu reconheci que devia parar de brincar com a luxúria!

3- A luxúria é um vício para o pecador

A próxima parte da estratégia de batalha era chamar meu pecado pelo que ele é: O pecado! Não é apenas um “problema.” É desobediência a Deus. Eu tinha que eliminar todas as racionalizações que eu vinha usando para desculpá-lo: “Eu sou apenas um homem”.

Meu pensamento de vida não é pior do que qualquer outro homem. Não está prejudicando ninguém. Além disso, sou fiel a minha esposa. “Não, eu estou em desobediência a Deus, quando eu tiver pensamentos lascivos”.

Outra racionalização frequentemente utilizada, foi o de pensar que, se eu alimentei meu desejo um pouco, seria satisfazer o meu apetite para o que eu não precisaria mais. Mas isso foi como jogar gasolina sobre um incêndio. Um pouco de luxúria para mim é como uma bebida para um alcoólatra. Ela só me faz desejar mais. Eu tive que fazer um compromisso de ser um abstêmio.

Eu tive que aprender que nunca me tornaria invulnerável contra a luxúria. Eu descobri que quando eu cometo um pecado em particular, torno-me mais vulnerável à tentação  ao pecado para o resto da minha vida. Por exemplo, eu nunca usei drogas. Você pode colocar um pino de cocaína na minha mesa, e eu não teria qualquer problema em jogá-la fora. Mas eu sei que alguns cristãos, para quem isso seria uma tentação incrivelmente forte, porque eles se têm rendido ao pecado.

4- Não vacile, não se considere o fortão

Tendo sido rendido repetidas vezes pelo pecado da luxúria, tenho que reconhecer que nunca vou me tornar tão forte que me considere livre. Sempre que eu começo a pensar que eu finalmente eliminei a luxúria de uma vez por todas, eu estou em apuros. “Aquele que pensa estar em pé tome cuidado, para que não caia”. 1 Co 10. 12

Mas sendo vulneráveis à luxúria e rendendo a ela não são sinônimos. Eu nunca vou ser livre da tentação, mas eu posso ser livre do pecado. Ao reconhecer constantemente a minha fraqueza, sou levado a confiar no Senhor, que é a minha força. “Quando sou fraco, então é que sou forte”. 2 Co 12. 10

5- Lidando com os seus pensamentos

Uma das coisas convenientes sobre o pecado da luxúria é que se você tiver cuidado, ninguém sabe que você faz isso. Apenas certifique-se furtar seus olhares de injustiças quando ninguém está olhando. Não olhe para o porta-revistas em uma loja onde as pessoas que você conhece poderiam perceber. Com essas precauções, você pode desfrutar do seu pecado e ninguém desconfia disso.

Mas isso é como tolerar rachaduras em uma barragem. É tudo abaixo da superfície, onde ninguém vê. Mas, mais cedo ou mais tarde, a barragem vai estourar e causar uma série de danos. Sempre que um homem cai na imoralidade, você pode saber com certeza que ele foi tolerando as rachaduras da luxúria mental muito tempo antes.

Alguém disse com razão: “Cuidado com seus pensamentos, eles se tornam palavras, observe suas palavras, elas se tornam ações, observe suas ações, elas se tornam hábitos, observe seus hábitos, eles se tornam caráter. Observar o seu caráter, pois ele se torna o seu destino”. A luxúria deve ser vencida no nível do pensamento.

No contexto de falar de luxúria mental, nosso Senhor disse: “Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e jogue-o fora” (Mt 5. 29). Orígenes tomou esta palavra literalmente e castrou a si mesmo.  Mas eu não estou convencido de que isso é o que Jesus quis dizer! O que ele quis dizer é, nós precisamos ser radical para lidar com o pecado! Eu tive que ficar radical, impiedosamente me negando o luxo de pensamentos lascivos.

Isso significa abandonar e confessar todos os pensamentos lascivos no momento em que ocorrem. Memorizar a Escritura, como 2 Coríntios 10. 3-5, que fala sobre “levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo”, tem ajudado.

6- Guarde os teus olhos de verem o mal

Dessa forma eu posso dirigir meus pensamentos da luxúria ao Senhor. Eu tive que guardar o meu olhar em revistas, até mesmo revistas semanais. Eu tento evitar ler relatos detalhados de escândalos sexuais escândalos sexuais, mesmo cristãos! É incrível como me lembro de fotos sensuais ou histórias anos depois, mas tenho dificuldade em lembrar um verso que decorei na semana passada.

Eu às vezes rasgo páginas da Newsweek e jogá-as no lixo, porque eu não posso ler o resto da revista sem estar repetidamente olhando para a imagem luxuriosa. Eu raramente assisto TV ou vou ao cinema. Eu tive que jogar fora um manual de casamento, porque eu não podia lidar com as imagens explícitas.

Alguns anos atrás, quando meu escritório era em casa, nossas vizinhas, eram meninas adolescentes, que foram amplamente dotados pelo seu Criador, estavam do lado de fora da minha janela em biquínis lavando seu carro. Entre olhares para fora da janela, eu estava lutando para montar um sermão.

Finalmente, me levantei e puxei as cortinas, confessei o meu pecado ao Senhor, e fui capaz de terminar o meu sermão. Você pode pensar que puxar cortinas, rasgar páginas de revistas, jogando fora os livros, e evitando TV e filmes é um pouco extremo. Então é arrancando seu olho. Tenho que lidar radicalmente com a minha vida de pensamento para vencer a guerra contra a luxúria.

7- Não basta orar – obedeça!

Anos atrás ouvi falar de um pastor que tinha uma luta terrível contra a luxúria. Em recompensa por terminar o seu sermão, ia a uma loja de pornô! No que diz respeito a sua batalha contra a luxúria, ele fez a declaração: “Eu não posso te dizer por que uma oração que fiz por dez anos é atendida no 1000 º pedido, quando Deus me contemplou os primeiros 999 com o silêncio”.

Agora, espere um minuto! Se você pensar sobre isso, este homem culpa a Deus por seu próprio pecado: “Eu orei para a libertação, mas Deus não respondeu. A culpa é dele que não oferece nenhuma esperança para o homem lutando com a luxúria:” Continue orando, amigo. Se você tiver sorte, Deus vai pegar você antes de você passar por cima das cataratas. Mas talvez não!

Mas a Bíblia nunca diz que a maneira de lidar com a luxúria é orar sobre isso. Ela me ordena a fugir (1 Co 6. 18). Ela diz que eu deveria limpar-me de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus. (2 Co 7. 1). Manda-me a andar no Espírito para que eu não vá cumprir os desejos da carne (Gl 5. 16). Ore, sim! Mas não basta orar: Obedeça!

8- A pureza sexual é responsabilidade pessoal

Deus coloca a responsabilidade ativa para a obediência na pureza sexual em mim. De alguma forma, nós temos a idéia confusa que negando a luxúria em obediência ao Senhor envolve a carne. Então, nós oramos por libertação e continuamos desobedecendo como se nós não pudéssemos ajudá-la até que aquele momento mágico aconteça.

Mas Paulo nunca diz: “Vamos ir e deixar Deus dar-lhe a vitória sobre a luxúria.” Ele diz: “Corra!” Ele diz que a graça de Deus nos ensina a negar os desejos impiedosos e mundanos (Tt 2. 11-12). Eu preciso fazê-lo e posso fazê-lo! Caso contrário, Deus não me ordenou fazê-lo.

Parte da fuga está me vigiar com antecedência. Eu costumava brincar com isso. Gostava de entrar em uma loja para olhar as revistas de notícias (por isso eu disse a mim mesmo). Depois de alguns minutos fazendo isso, eu encontro-me a folhear a Playboy, que sempre estava convenientemente próxima. (“Como eu poderia ajudá-lo, Senhor?”) Mas agora eu evito lojas onde eu poderia ser tentado a ver revistas de sexo explícito.

9- Esteja bem sexualmente com sua esposa

Eu ouvi oradores cristãos dizer que uma maneira de se proteger contra o pecado sexual é estar satisfeito com a sua esposa. É verdade que ser sexualmente satisfeito com ela me ajuda a não ser seduzido pela luxúria. Mas eu estou desconfortável com a abordagem que coloca o foco em minhas necessidades, em vez de minha responsabilidade.

A minha responsabilidade como um marido cristão não é para satisfazer a mim mesmo, mas para satisfazer a minha esposa. Descobri que a minha satisfação sexual é o resultado de buscar atender suas necessidades em todos os níveis, espiritual, emocional e física. Quando eu me concentro nisso, ela responde e minhas necessidades sexuais são satisfeitas.

Muitos homens são sexualmente frustrados em seus casamentos, porque eles se aproximam do sexo para satisfazer as suas próprias necessidades. As palavras de Jesus sobre a busca de sua vida e perdê-lo e perder a sua vida para encontrá-la (Mc 8. 35) aplicam-se a sexo no casamento.

Se eu me aproximo da minha esposa para satisfazer as minhas necessidades, nenhum de nós se sente realizado. Mas se eu trabalhar em satisfazê-la, então eu estou profundamente satisfeito. Os melhores momentos sexuais para mim são quando minha esposa está satisfeita.

Eu tive que derrubar as minhas expectativas sexuais que foram construídos a partir de Hollywood e Playboy e reconstruir-las a partir das Escrituras. O mundo promove minhas necessidades acima de tudo. Ele não sabe nada sobre o auto-sacrifício que Nosso Senhor ensinou.

10- Considerações finais

Muitos cristãos têm involuntariamente trazido esta filosofia: “Se minha esposa não pode satisfazer as minhas necessidades sexuais, então eu vou ter que enfrentá-los de outra forma. Mas as minhas necessidades devem ser atendidas.” Mas o caminho do Senhor é que eu estou a amar minha esposa sacrificialmente, como Cristo amou a igreja. A ironia é que quando eu trabalho com isso, minhas necessidades são abundantemente cumpridas.

Temas Relacionado:

Dwight Eisenhower disse certa vez: “A guerra é uma coisa terrível. Mas se você está indo encontra-la, você tem que chegar a ela por um caminho”. Isso é verdade na guerra contra a luxúria. Você não vai ganhar por ser meio caminho para ela. Mas você obterá todo o caminho para a batalha — o caminho de Deus, usando sua estratégia — você pode ganhar!

Artigo traduzido do original em inglês Winning The War Against Lust

10 informações que você precisa saber sobre a luxúria

Tempo de leitura: 12 min