10 Dicas para entender as parábolas de Jesus

Ao longo da vida e ministério de Jesus, muitas vezes ele ensinou sobre temas como o discipulado cristão, o dinheiro, o Reino de Deus, o fim dos tempos, e a graça de Deus. Devido à complexidade de alguns desses temas, Jesus muitas vezes se valeu das parábolas para comunicar as mensagens espirituais profundas que ele estava tentando transmitir. Então vamos saber como Jesus se utilizou desses recursos. Confira abaixo 10 Dicas para compreender e interpretar as parábolas de Jesus.

1- Entender a natureza das parábolas

Parábolas são ferramentas que usa figuras de linguagem para comparar algo físico com o espiritual. Jesus começa várias parábolas dizendo: “O Reino de Deus é como…” para que ele pudesse amarrar um conceito abstrato (o Reino de Deus) para algo mais concreto e visível (como uma semente de mostarda em Mateus 13. 31-32.

Jesus escolheu ensinar em forma de história porque as histórias ocupam a mente e as emoções dos ouvintes, como nenhuma outra forma de ensino. Um grande exemplo disso é quando Jesus pintou uma imagem bonita de que “amar o próximo como a si mesmo” quis dizer quando narrou a Parábola do Bom Samaritano. Lc 10. 29-37

2- Compreender a finalidade das parábolas

Jesus ensinava com parábolas com dois propósitos principais: para explicar a verdade para alguns (ver Lucas 10:36-37) e para manter a verdade escondida dos outros (ver Marcos 4. 10-12 abaixo). Para aqueles ansiosos para seguir a Deus, as parábolas eram ilustrações memoráveis de um princípio de reino. Para aqueles que se opõem aos planos de Deus, o significado das parábolas estaria escondido em uma forma de julgamento.

” E quando ele estava sozinho, aqueles ao redor dele, com os doze perguntou-lhe sobre as parábolas. E ele disse-lhes: “A vós foi dado saber o mistério do Reino de Deus, mas para aqueles que estão fora tudo é em parábolas, para que” eles podem realmente ver, mas não percebem, e pode de fato ouvir, mas não compreender, para que não deve vir a ser perdoado.”  Mc 4. 10-12

3- Veja a parábola em seu próprio contexto

parábolas
Com muitas parábolas semelhantes Jesus lhes anunciava a palavra, tanto quanto podiam receber

Muitas vezes uma parábola tem uma breve introdução que vai afetar muito o seu significado e interpretação. Lucas 18. 1 compartilha uma chave para interpretar a parábola que se seguiu quando ele disse: “E disse-lhes uma parábola para o efeito que eles devem orar sempre e não desanimar.”

Outras vezes, o contexto de uma parábola irá informar-nos que ele é direcionado para um determinado grupo de pessoas (por exemplo, os fariseus em Lucas 15).

Parábolas são frequentemente agrupadas tematicamente, e compreender o fio condutor que liga parábolas relacionadas, pode lançar luz sobre o seu significado e interpretação geral. Lucas 15 tem grupos de três parábolas em conjunto (a parábola da ovelha perdida, a parábola da moeda perdida, e a parábola do Filho Pródigo) para responder aos fariseus e escribas que eram hipócritas e não entendia a graça de Deus.

4- Lembre-se da diferença cultural

Algumas das imagens e metáforas tem um rico significado para as pessoas no tempo de Jesus que não são tão fáceis de reconhecer para aqueles que vivem no século 21.

A Parábola das Dez Virgens (Mt 25. 1-13) faz muito mais sentido quando se compreende os costumes matrimoniais judaicos presentes na época de Jesus. Um bom estudo da Bíblia, provavelmente, terá notas úteis para ajudá-lo em seu estudo.

5- Parábolas sempre têm um ponto principal

Nossa compreensão de uma parábola e seus detalhes deriva todo o fluxo do ponto principal. Este é um passo crucial, porque o ponto principal da parábola é a razão pela qual Jesus disse em primeiro lugar! É importante fazermos perguntas para encontrar o ponto principal das parábolas:

  1. Quem são os personagens principais?
  2. O que ocorre no final?
  3. O que ocorre nas entrelinhas?
  4. Quem ou qual é o foco da história?

6- Tomar conhecimento dos detalhes

Certas parábolas têm reviravoltas chocantes e inesperadas que nos ajuda a entender o ponto de vista que Jesus estava tentando transmitir. Embora uma leitura cuidadosa geralmente exponha os detalhes especiais, às vezes esses detalhes são difíceis de pegar, devido às diferenças culturais e nossa pouca familiaridade com as parábolas. Um exemplo de um detalhe importante e surpreendente é encontrada na parábola do servo impiedoso. Mt 18. 23-35

O detalhe surpresa desta parábola é a diferença entre os montantes de dinheiro perdoados pelo rei e pelo servo (milhares de reais em comparação com milhões de reais), o que mostra a grande magnitude do perdão de Deus e como isso deve nos levar a perdoar os outros.

7- Nem tudo é relevante

Sendo as parábolas histórias, às vezes elas precisam de informação de apoio para que a ideia principal da parábola possa fazer sentido. Por exemplo, na Parábola das Dez Virgens, as ações da história era que cinco virgens eram sábias e os outras cinco tolas.

Seria errado concluir que 50% das pessoas são sábias e 50% das pessoas são tolas. O fato de que havia dez virgens no total, com cinco prudentes e cinco insensatas é um detalhe irrelevante que apenas ajuda o progresso da história. Muitas vezes pressionando em detalhes insignificantes podem fazer a desvendar história e fazer uma falta todo o ponto da história.

8- Observe “imagens de arquivo” nas parábolas

“Banco de imagens” é um termo cunhado por Robert Plummer para muitas das imagens utilizadas repetidamente ao longo das parábolas. Muitas vezes as imagens repetidas encontram paralelo no Antigo Testamento, e teria sido ideias espirituais comuns compreendidos pelos ouvintes originais de Jesus.

Por exemplo, sempre que há uma figura de Mestre, Juiz e Rei nas parábolas, significa Deus. Enquanto ovelhas , funcionários e trabalhadores ilustram seguidores de Deus.

9- O fim das parábolas é muito importante

Enquanto parábolas mais compartilham um monte de detalhes importantes ao longo do caminho, a chave para compreender as implicações da parábola é frequentemente encontrado em sua conclusão.

Na parábola do joio e do trigo (Mt 13. 24-30), o final revela o que acontece com o trigo e o joio, respectivamente, e mostra o propósito final da parábola que é para indicar que Deus vai julgar quem é realmente parte da igreja no dia do julgamento final.

10- Cuidado com as interpretações alegóricas

Tem havido algumas pessoas ao longo da história da Igreja que tem pensado que o significado das parábolas estava escondido e incapaz de ser explicado sem a aplicação de significados especiais para o texto. O problema com isso é que elas normalmente desconsiderava a leitura simples da Escritura e ofereceram ideias confusas da mente do intérprete.

Um exemplo disso é a interpretação de Orígenes do Bom Samaritano. Ele lê vários detalhes no texto: o homem andando pela rua significando Adão, o sacerdote significando a Lei, o levita significando os Profetas, o burro que significa o corpo de Cristo com os nossos pecados, e o samaritano, significando o que Cristo fez por nós .

Não há base para tal interpretação. É muito mais fácil de entender quando se lembra o contexto: Jesus usou a parábola para responder a pergunta de um homem: “Quem é o meu próximo?”

Temas relacionado:

O grande reformador Martinho Lutero chamou algumas interpretações alegóricas das parábolas “disparate surpreendente” e “totalmente inútil.” Evitar esses tipos de interpretações! Como você cava as riquezas profundas de parábolas de Cristo? Nossa oração é que você desenvolva uma compreensão mais profunda sobre a graça de Deus, uma experiência ampliada do Reino de Deus.

Gostou das dicas? Você ficou satisfeito com este artigo, era estas as informações que você procurava? Deixe a sua sugestão nos comentários ou então use nosso formulário de contato.

Kevin Halloran

10 Dicas para entender as parábolas de Jesus

Tempo de leitura: 6 min